quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Seita muçulmana aprisionava crianças em cativeiro subterrâneo


Seita muçulmana aprisionava crianças em cativeiro subterrâneoSeita muçulmana aprisionava crianças em cativeiro subterrâneo
Autoridades russas acusaram nesta quarta-feira (8) quatro integrantes de uma seita muçulmana de aprisionar crianças e mantê-las em um cativeiro subterrâneo de uma casa na região do Tatarstan, oeste da Rússia.
27 crianças estavam no local e nunca tinham visto a luz do sol. Além disso, 38 adultos viviam em celas 8 níveis abaixo da casa do líder da comunidade, Faizrakhman Sattarov.
Sattarov pregava o isolamento do mundo exterior e começou a evitar o contato com as pessoas já no início do século 21. De acordo com informações da BBC, ele se considerava um ‘profeta’ muçulmano.
O líder da seita foi acusado do crime de ‘arbitrariedade’. Segundo a lei russa, isso acontece quando alguém ‘promove ação contrária à apresentada na lei ou a qualquer outro ato normativo legal’.
A comunidade foi localizada em um subúrbio da cidade de Kazan, capital da região do Tatarstan. Uma investigação foi iniciada sobre os recentes ataques a clérigos muçulmanos no Tatarstan, uma região majoritariamente islâmica às margens do Rio Volga.
Perigo
Segundo as autoridades russas, as crianças viviam em condições precárias. Os policiais que descobriram o complexo em que viviam relataram que o local possuía grande risco de incêndio, além de má ventilação e falta de saneamento.
Algumas crianças foram levadas para abrigos e outras encaminhadas a hospitais, segundo informações do jornal estatal Rossiyskaya Gazeta.
As celas onde viviam os seguidores localizavam-se oito níveis abaixo da terra abaixo de uma casa em péssimo estado de conservação. O terreno possuía 700 m2, segundo a agencia de notícias AP. A casa será demolida, pois tinha sido construída ilegalmente.
Apenas um pequeno grupo de fieis tinha permissão de deixar a comunidade. Eles trabalhavam como comerciantes em um mercado local.
Falso profeta
Líderes muçulmanos da região do Tatarstan afirmaram não reconhecer os ensinamentos de Sattarov, que consideraram contraditórios.
Eles rejeitam seus ensinamentos. ‘O Islã postula que não há outro profeta senão Maomé’, disse o teólogo Rais Suleimanov ao site de notícias gazeta.ru.
Sattarov é considerado localmente como um velho “doente e delirante”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário