terça-feira, 6 de agosto de 2013

‘Na Moral’: Globo teria usado Silas Malafaia para neutralizar críticas de evangélicos ao capítulo da novela "Amor à Vida"

‘Na Moral’: Globo teria usado Silas Malafaia para neutralizar críticas de evangélicos justamente no dia …
A Globo teria estrategicamente programado a exibição do programa ‘Na Moral’, com a participação do pastor  Silas Malafaia para a mesma noite do conflito na mansão da família Khoury, na novela “Amor à Vida”, como forma de neutralizar os ânimos da comunidade evangélica.

Na cena da novela “Amor à Vida”, o personagem Félix saiu “do armário“, apesar de César (Antonio Fagundes), insistir em rejeitar a opção  sexual do filho. O capítulo levantou a bandeira LGBT do respeito e da tolerância, insistindo de que não existe opção sexual nem doença, levando a mensagem subliminar de que o homossexual já nasce assim.

Para evitar que setores evangélicos criticassem a Globo por fazer uma das maiores apologias à questão homossexual já vista em uma  dramaturgia, a Globo teria planejado o debate sobre estado laico no programa dirigido por Pedro Bial,  e convidado o pastor Malafaia para participar. O programa foi exibido alguns minutos após o enceramento da novela.

Nos minutos que antecederam o programa, nas redes sociais uma multidão de evangélicos expressava sua ansiedade pelo início do programa, a fim de ver a participação do pastor Silas Malafaia.

A tática deu certo. Ou melhor, mais do que certo.
Além de não haver críticas à emissora por grupos evangélicos, mas só elogios por parte dos ativistas gays, a Globo ainda colheu dupla alta audiência, a da novela e do programa ‘Na Moral’.

A repercussão nas redes sociais sobre o debate a respeito do Estado laico levou o tema ao segundo lugar dos assuntos mais comentados no Twitter.
Novela e debate à parte, fato é que aos poucos a sagacidade da Globo vai dando certo.

A emissora descobriu o ‘filé mignon‘: vai continuar oferecendo ao público evangélico o Festival Promessas, a Feira Internacional Cristã, a participação de cantores gospel em alguns de seus programas, coberturas jornalísticas das Marchas Para Jesus, como também de alguns outros grandes eventos evangélicos, somando-se a mais recente novidade, a utilização de músicas gospel em suas próximas novelas, todavia, em contrapartida, com a massa crítica evangélica hipnotizada e, por conseguinte, imobilizada,   ela vai fazer cada vez mais a apologia a tudo que sempre defendeu, e que nitidamente colide com os princípios cristãos, principalmente o aborto e a agenda gay.

O pior de tudo, com a gentiliza de certos líderes cristãos,  ícones atualmente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário