quinta-feira, 20 de junho de 2013

Segurança no Rio volta a preocupar o Vaticano


Rio - A onda de protestos que tomou conta de várias cidades do Brasil nos últimos dias levou o arcebispo do Rio, Dom Orani Tempesta, a explicar a situação nesta quarta-feira a milhares de católicos através da Rádio Vaticano, canal oficial da Santa Sé.

Dom Orani procurou tranquilizar os fiéis ao dizer que o clima de instabilidade nas ruas não afetará a Jornada Mundial da Juventude (JMJ), que acontecerá no Rio de Janeiro, entre os dia 23 e 28 de julho. “Essas manifestações acontecem em locais específicos da cidade, com a polícia presente”, afirmou.
O arcebispo Dom Orani disse que clima de instabilidade nas ruas não afetará a Jornada, no próximo mês

Dom Orani contou que já procurou autoridades brasileiras que cuidarão da segurança do Papa Francisco e dos mais de 2 milhões de peregrinos que virão ao Brasil. A preocupação é com a violência praticada por grupos minoritários.

“Esses grupos infiltrados acabam ocasionando violência contra policiais e patrimônio público, o que realmente tem sido uma preocupação para as pessoas”, disse ele, lembrando que a maioria dos cidadãos envolvidos nos protestos desejam apenas ‘tempos melhores’.

A cerca de um mês do evento, o Centro de Gestão Integrada de Riscos da Jornada já começou a monitorar os manifestantes para alertar as autoridades. Dependendo da gravidade da situação, os organizadores cogitam cancelar ou transferir atos menores como as catequeses, que acontecerão em igrejas.

Palco de Guaratiba já está em construção: terá 4 mil metros quadrados e capacidade para 750 convidados
Segundo Cássio Ramos, gerente de Projetos da empresa Módulo Security Solutions, responsável pelo centro de controle, esta é a primeira Jornada que conta com este tipo de estrutura.  “Vamos ter uma classificação de riscos.

Em caso de qualquer ameaça à segurança dos peregrinos, incluindo manifestações, as autoridades serão alertadas para tomar providências”, disse.

Utilize somente os ônibus oficiais, nunca as vans que oferecem transportes ilegalmente;
Nos ônibus, sente-se rapidamente após passar na catraca e deixe as duas mãos livres para segurar-se fortemente. Ônibus não cumprem horário e o metrô fecha antes da meia-noite;
Tome cuidado ao atravessar ruas, motoristas não respeitam pedestre;
Não deixe de provar o guaraná, o mate, o açaí, o queijo minas e o pão de queijo.

O guia lançado nesta quarta-feira pelos organizadores da Jornada tem orientações para os católicos não usarem o telefone celular na rua e não reagir a um assalto. Pede-se que os voluntários não andem com grande quantidade de dinheiro e objetos de valor.

Recomeda também que andem em grupos e tomem cuidado em ônibus. “Não traga nenhum objeto que tenha valor sentimental, deixe-o em seu país”, explica.

Os banhos de mar também devem ser evitados em algumas praias consideradas impróprias, conforme o guia. Na mochila, os fiéis devem ter calçados confortáveis, como tênis, e roupas leves, além de repelente, capa de chuva, lanterna, protetor solar e saco de dormir.
Fonte: Jornal O Dia

Nenhum comentário:

Postar um comentário