segunda-feira, 20 de julho de 2015

Líder supremo do Irã pede que mundo muçulmano se una para destruir Israel

Líder supremo do Irã pede que mundo muçulmano se una para destruir IsraelAiatolá pede que muçulmanos se unam para destruir Israel
O líder religioso do Irã é o aiatolá Ali Khamenei. Ele foi presidente do país de 1981 a 1989. Como aiatolá é considerado o líder supremo, sendo visto como uma espécie de “porta-voz” de Alá para seu país e milhões de outros muçulmanos do mundo todo.
Embora ignorado pela grande mídia, seus discursos continuam passando a mesma mensagem de sempre. Em sua aparição pública mais recente, no sábado (18), ele fez um discurso inflamado na comemoração do fim do Ramadã, período mais sagrado do calendário religioso muçulmano.
“Se as nações islâmicas estivessem unidas e reunissem ao redor de seus próprios pontos em comum, certamente seriam um poder único na cena política internacional. Mas as grandes potências impuseram essas divisões entre os Islâmicos para defenderem seus próprios interesses e protegerem o regime sionista [de Israel ]”, disse Khamenei.
Khamenei também defendeu o apoio do Irã ao Hezbollah, uma organização política e terrorista do Líbano e ao regime de Assad na Síria.
“Os americanos chamam a resistência libanesa de terrorista e consideram o Irã um apoiador do terrorismo por causa de sua ligação com o Hezbollah, na verdade os norte-americanos é que são os verdadeiros terroristas”, asseverou.
O Hezbollah foi originalmente criado pelo primeiro “líder supremo” de Teerã com a missão de “transformar o Líbano em um cemitério de judeus”, defende o seu líder, Hassan Nasrallah.
Para o líder supremo, o grupo terrorista Estado Islâmico e a Al-Qaeda foram criadas pelos Estados Unidos para “apoiar os perversos sionistas [Israel]”, acusa Khamenei.
Ao falar sobre o recente acordo nuclear com as potências mundiais, declarou ser uma vitória sobre os Estados Unidos.  “Este é o resultado da resistência da nação iraniana, da coragem e da criatividade dos queridos cientistas iranianos”.
Avisou ainda que, no caso de uma guerra, os Estados Unidos é que “vão ser os perdedores”, relatou a PressTV, órgão de imprensa oficial do governo iraniano. Com informações de Tasnim News eBreitbart

Nenhum comentário:

Postar um comentário