sábado, 10 de outubro de 2015

Magno Malta quer fundar o Partido da Vida e planeja candidatura à presidência

Magno Malta quer fundar o Partido da Vida e planeja candidatura à presidência, diz jornalista
O senador Magno Malta (PR-ES) anunciou que está trabalhando para fundar uma nova legenda, que se chamaria Partido de Valorização da Vida (PVV), com filosofia conservadora.
A informação sobre o movimento de criação do PVV foi revelada pelo próprio senador durante um encontro com líderes cristãos no último final de semana.
Com a recente modificação na legislação eleitoral, para que um novo partido dispute as eleições de 2016, ele deverá estar formado e reconhecido pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) até março do próximo ano.
Ciente disso, Malta anunciou que os trabalhos para o recolhimento das assinaturas necessárias para a fundação do partido já foram iniciados. Além disso, de acordo com informações do jornalista Leandro Mazzini, da Coluna Esplanada, no portal Uol, o partido já teria sido registrado em cartório de Brasília.
“Com discurso conservador e cristão, Malta não esconde a aliados que sonha um dia disputar a presidência da República”, acrescentou Mazzini. Com a consolidação do PVV, esses planos poderiam ser postos em prática já em 2018.
A movimentação para a criação de um novo partido reflete parte dessa aspiração de Malta, que em 2014 apresentou seu nome ao Partido da República como pré-candidato ao Planalto, mas a direção da legenda optou por apoiar a candidatura de Dilma Rousseff (PT) à reeleição.
A carreira política de Magno Malta é marcada pelo combate às drogas, oposição à legalização do aborto e eutanásia, e favorável à redução da maioridade penal. É um dos políticos evangélicos com maior reconhecimento no âmbito político e tido como um conservador.
“Se a família vai bem, a sociedade vai bem; se a família vai bem, a escola vai bem; se a família vai bem, as Forças Armadas vão bem […] Se a família vai mal a sociedade vai mal. Nosso grande drama foi ter excluído a família de tudo”, disse Malta, em um discurso proferido no Senado tempos atrás.

Nenhum comentário:

Postar um comentário