segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Cruzeiro é tetra: jogadores e torcida exaltam a Deus com camisas e faixas no Mineirão

Cruzeiro é tetra: jogadores e torcida exaltam a Deus com camisas e faixas no Mineirão
O Cruzeiro Esporte Clube conquistou no último domingo, 23 de novembro, o segundo título seguido do Campeonato Brasileiro ao vencer o Goiás por 2 x 1 no Mineirão. Com a vitória, o clube marcou 76 pontos e já não pode mais ser alcançado pelo São Paulo, segundo colocado na tabela, com 69 pontos.
Ao final da partida que garantiu o título ao Cruzeiro, jogadores do time usaram uma camisa com os dizeres “A Deus Toda Glória”, e um bandeirão com a mesma frase foi estendido pela torcida nas arquibancadas do estádio.
Nas entrevistas coletivas, diversos jogadores fizeram menção a Deus agradecendo pelo objetivo alcançado. O Cruzeiro é um dos clubes que conta com um grande número de atletas evangélicos em seu elenco, incluindo o capitão, Fábio.
“O troféu é nosso e podemos comemorar. Nação azul comemora, Deus é bom. Desde a sexta rodada lutando contra tudo e contra todos. Deus abençoou, capacitou todos os jogadores que se empenharam até o final”, declarou o goleiro.
O armador Everton Ribeiro, considerado o destaque do time nesse campeonato, também agradeceu a Deus: “Mérito de todo mundo, que correu, se empenhou e trabalhou firme para tentar conquistar este título, e graças a Deus conseguimos com um jogo dentro de casa. Com a vaidade longe estamos conquistando tudo que estamos buscando, e está todo mundo de parabéns. Trabalhamos muito para realizar tudo isso e dar alegria para a torcida”, pontuou, segundo o Yahoo!.
O atacante Dagoberto, que é evangélico, não vinha sendo titular na reta final do campeonato, mas relembrou conquistas pessoais anteriores, quando foi campeão brasileiro pelo Atlético-PR e São Paulo.
“É o quinto [título brasileiro como jogador]. Muito feliz. Muito gostoso, único. Acho que é um momento maravilhoso e temos que agradecer muito a Deus por estar se realizando. É um objetivo que nós tínhamos traçado lá em janeiro. Então, é comemorar. Temos que comemorar muito. Acho que conquistar, muitos conquistam um título, mas manter, conquistar o bicampeonato, da forma que é o campeonato [brasileiro], é difícil […] Acho que essa valorização que a torcida mostrou comigo, com todo mundo, eu agradeço muito, porque muitas vezes você não vai estar atuando dentro de campo da maneira que você deseja. Mas eu respeito muito a opção do treinador […] Sou um felizardo por ter Deus na minha vida. Agradeço muito a ele, uma família abençoada [que tenho]”, comentou o atacante.
O lateral direito Ceará também fez referências a Deus e ao esforço e boa vontade do grupo de atletas como fatores importantes para a conquista: “Nós temos fé, nós cremos e nós temos transmitido isso para os torcedores, para os telespectadores, para os admiradores do futebol, que é a nossa fé está em Deus. Nós cremos e trabalhamos. Não dá só para crer e ficar sentado no sofá ou entrar em campo e andar. Tem que crer e tem que fazer sua parte. E essa sintonia entre fé e trabalho tem nos concedido título e ficado na história de cada atleta e na história do clube também. Quatro títulos brasileiros na história do clube. Dois títulos pra esse grupo, desde de 2013. Nós comemoramos, celebramos e agradecemos a Deus, acima de tudo. É uma conquista coletiva e sem a família não somos nada”, pontuou.

Bandeirão

a deus toda gloria - faixa torcida cruzeiro
A enorme bandeira estendida pela torcida do Cruzeiro ao final do jogo foi ideia das esposas dos jogadores, que frequentemente se encontram para reforçar a amizade no elenco. Essas reuniões são aproveitadas com momentos de oração, conversas e estreitamento de amizades.
“A reunião de familiares fez com que surgisse a ideia. O bandeirão foi idealizado pelas esposas. Os jogadores sempre combinam os encontros quando há jogos em casa. As mulheres se reúnem mais vezes, depende dos números de jogos na semana. Não é uma rotina. Esses encontros são para fortalecer”, disse o zagueiro Léo ao site Superesportes.
A esposa do goleiro Fábio, Sandra, foi uma das líderes para a criação do bandeirão e das camisas: “Nós, esposas dos jogadores, nos encontramos duas vezes por semana. Em um desses encontros, tive uma visão desse bandeirão. Deu trabalho, mas ficou lindo”, comemorou.
Em 2013, quando o Cruzeiro conquistou seu terceiro título de campeonatos brasileiros, a comemoração entre os atletas foi semelhante à deste ano, com diversos atletas fazendo referências a Deus em agradecimento pela vitória.

Nenhum comentário:

Postar um comentário