terça-feira, 23 de setembro de 2014

Marina Silva se diz vítima de “marketing selvagem” do PT e pede orações contra ataques dos adversários

Marina Silva se diz vítima de “marketing selvagem” do PT e pede orações contra ataques dos adversários
A candidata à presidência Marina Silva (PSB) pediu orações contra os ataques políticos que tem sofrido de seus adversários. A missionária assembleiana participou de uma reunião com educadores católicos na última segunda-feira, 22 de setembro, em Brasília.
“Estão dizendo aí que eu vou acabar com tudo e ainda vou acabar com o resto [...] Como vocês são pessoas de fé: contra o marketing selvagem, não vale argumento, só discernimento. Então peçam a Deus pelo discernimento do povo brasileiro”, afirmou a ex-senadora.
Marina Silva tem sido bombardeada pela estratégia de campanha do PT, que a acusa de planejar acabar com os projetos sociais, como o Bolsa Família e o Minha Casa, Minha Vida, e ainda abandonar a exploração do pré-sal, que por lei tem parte dos recursos obrigatoriamente destinados à educação. A candidata do PSB nega e afirma que tais acusações são distorções das propostas que apresentou em seu plano de governo.
No encontro com o grupo de professores católicos, Marina enumerou as acusações feitas pelo PT e ironizou: “Não dá para acreditar que uma pessoa possa acabar com o pré-sal, o Prouni, o FIES, o Pronatec, o Bolsa Família, o Minha Casa, Minha Vida, a transposição do São Francisco, a Transnordestina, o décimo-terceiro, as férias, privatizar a Petrobras, a Caixa Econômica, o Banco do Brasil. Se uma pessoa pode fazer isso, é porque nós temos um país que é o que, de papel? Isso fere o bom senso, a inteligência dos brasileiros”, rebateu.
O evento foi organizado pela Associação Nacional da Educação Católica (ANEC), e previa a participação dos outros dois principais candidatos à presidência da República: Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB). Ambos não compareceram e foram representados por integrantes de suas campanhas, segundo informações do site da revista Veja.
Lembrando das dificuldades que passou na adolescência para ser alfabetizada, Marina propôs um aperfeiçoamento do ProUni, para permitir que alunos carentes que estudaram em escolas particulares por conta de bolsas de estudo também tenham acesso ao programa, e assim, possam seguir buscando qualificação profissional.

Nenhum comentário:

Postar um comentário