sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Evangélicos queimam livros considerados heréticos como forma de protesto

Evangélicos queimam livros considerados heréticos como forma de protestoEvangélicos queimam livros considerados heréticos
Queimar livros considerados heréticos ou perigosos é uma prática antiga. O Novo Testamento narra em Atos 19 que na cidade de Éfeso “muitos dos que seguiam artes mágicas trouxeram os seus livros, e os queimaram na presença de todos”.
Durante a Idade Média a prática da queima pública voltou a ser popular. Durante a Inquisição era um espetáculo popular concorrido. No período da Reforma em vários países a Igreja Católica queimou até Bíblias. Outros regimes totalitários aderiram a prática ao longo da História. É um símbolo forte de “limpeza”.
Agora, a ideia está sendo revivida nas redes sociais, que não deixam de ser uma espécie de praça pública virtual. Há evangélicos que veem nisso uma forma de protesto. A página do Facebook “Reforma que Passa”, incentivou seus seguidores a queimar livros e divulgar as imagens.
Surgiram fotos de livros de autores nacionais e estrangeiros pegando fogo, geralmente acompanhado de algum comentário. Alguns preferem acrescentar hashtags como #FogoPuroNasHeresias, #QueimaJeová ou #CanseiDeSerHerege.
Livros de Silas Malafaia e Edir Macedo.
Livros de Silas Malafaia e Edir Macedo.
O Gospel Prime ouviu o responsável da página, que prefere não se identificar. Ele é membro de uma igreja protestante histórica e defende que é tudo uma “uma sátira, uma forma de protesto”.
Questionado sobre a motivação, explica: “alguns tens nos acusado de prática medievais… mas longe disso, o ato é voluntário. Apenas para chocar as pessoas que creem que esses livros são bíblicos, longe disso, em uma similaridade com Atos 19”.
Para ele, o material que está sendo queimado, embora seja rotulado como evangélico, não representa “o verdadeiro cristianismo”. “Repudiamos esses livros, que podem sim ser comparados com “artes mágicas”, enfatiza.
Ao ser indagado se essa imagem do fogo não poderia ser mal interpretada, o Reforma que Passa é categórico “não estamos incentivando as pessoas a queimar os livros propriamente, mas sim deixar de ler tais práticas e voltar para o verdadeiro evangelho, é algo simbólico”.

Pastor e fiel morrem afogados durante cerimônia de batismo

Pastor e fiel morrem afogados durante cerimônia de batismoPastor e fiel morrem afogados durante cerimônia de batismo
Cerca de 200 cristãos de uma igreja evangélica em Uganda estavam reunidos em um culto realizado em uma represa. Era uma cerimônia pública de batismo em um local comumente usado para esse tipo de encontro religioso.
Contudo, enquanto o pastor Wilber Mukisa, da Igreja dos Redimidos pelo Evangelho mergulhava o fiel Farida Mugolofa, ambos foram atingidos por uma imensa onda e morreram afogados.
Segundo testemunhas, a “forte massa de água” surgiu de repente e os dois se esforçaram para sair da água, mas não conseguiram. O pastor Joseph Akwasibwe, que também estava dentro d’água no momento do acidente conseguiu sair com vida.
A barragem pertencente à Construtora Mugoya Ltd, que não soube explicar o que provocou a onda. Os moradores da região chamam atenção para o fato de que outras sete pessoas morreram no local barragem durante cerimônias de batismo somente nos últimos dois anos.   O chefe da polícia da região, Herbert Nuwagaba, disse que as investigações sobre as mortes já começaram e aconselhou que o local seja interditado. Com informações de New Vision.

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Boate Kiss: Padre culpa pais e jovens mortos por tragédia e gera polêmica

Afirmações de um padre a uma rádio de Farroupilha, na Serra do Rio Grande do Sul, ganharam repercussão nas redes sociais um dia depois que o incêndio na boate Kiss completou um ano. Na entrevista, o padre afirmou que a morte de 242 pessoas foi "imprudência" dos próprios jovens que estavam na casa noturna. As declarações geraram uma resposta da Associação de Familiares de Vítimas e Sobreviventes da Tragédia (AVTSM) e a declaração do padre de que houve mal-entendido.

Durante a entrevista, realizada na manhã de terça (28), o padre Odair Risso criticou a falta de segurança em casas noturnas e o Conselho Tutelar. Segundo ele, o órgão é a “maior praga do mundo”, pois não permite que jovens trabalhem.

“Se estivessem dormindo, não teria acontecido nada. Se enfiar dentro de um caixote sem saída (...) a imprudência é deles. Essa é a minha opinião (...). A pior praga do mundo são os conselhos tutelares de alguns estados, que não permitem que os jovens trabalhem. Então, se prostituir, se drogar, pode. Só não pode trabalhar”, questionou o pároco.

Risso volta a citar a tragédia e diz que sua opinião poderia chocar. “Por que os pais não olham? Depois choram, largam lágrimas e fazem o escarcéu. Existem maneiras de se divertir (...). Tinha gente lá dentro, só que eles não falam em público, que os jovens descarregaram os extintores para brincar, fazer a fumacinha. É uma irresponsabilidade do jovem também. Tinha drogas e álcool”, afirmou Risso. 

"Se os pais fossem um pouquinho mais responsáveis no papel de pai e mãe, sabendo dar o amor aos filhos eles (os filhos) não procurariam lugares inadequados o espaço para ter o lazer. (...) Agora não adianta chorar, a tragédia já aconteceu (...) Os pais e mães devem se sentir responsáveis e não, agora, sentir remorso porque não souberam acompanhar os filhos (...)."

Já durante o programa do fim da tarde da rádio Spaço FM, o presidente da AVTSM, Adherbal Ferreira, comentou a entrevista e considerou “decepcionante” as palavras usadas pelo padre. Durante o áudio, Ferreira e Risso conversam simultaneamente com o locutor.

“Fico chateado, o chefe supremo da Igreja Católica, o papa Francisco, nos apoia, apoia os jovens, inclusive mencionou meu nome ao bispo de Santa Maria, enviou um texto para mim. Se o Papa nos apoia, apoia os jovens, como um padre pode dizer infâmias dessa natureza? Não vamos generalizar jamais, porque a Igreja Católica é nossa companheira, mas é decepcionante”, repetiu Ferreira. Ele conta que o religioso teria se negado a rezar missa em memória das vítimas, em janeiro passado, e também na última segunda-feira. 

Ao longo da conversa, o presidente da associação pede diversas vezes para que o pároco se desculpe. Em resposta, o padre afirmou que “tudo não passou de mal-entendido” e que durante a entrevista da manhã ele estava dirigindo e não conseguia ouvir o repórter.

Adherbal Ferreira argumentou que pediu para o padre enviar uma carta registrando as desculpas. “Ele falou uma grande besteira, desrespeitou famílias. Eu deixo livre, para cada um fazer o que acha melhor, tomar alguma providência. Ele deveria ter uma correção do próprio bispo dele”, apontou.

Em contrapartida, Risso afirmou já ter enviado uma carta a Santa Maria e garantiu que conversou com religiosos da igreja do município nesta manhã. “Já falei com os interessados e foi um mal-entendido. Encaminhei uma carta por escrito ontem e está tudo direitinho. Eu perdoei e ele me perdoa, foi isso que ficamos de acordo. Perdoar é divino. Se eu disse alguma frase que repercutiu mal, que não pegaram o todo, eu tenho a obrigação, como padre, de pedir desculpa e colocar a coisa bem clara. A gente não quer o mal de ninguém, pelo contrário, a gente sofre com aqueles que estão sofrendo", completou o religioso. 

Até a tarde desta quarta-feira, a AVTSM informa não ter recebido carta alguma.


Com informações Zero Hora/G1


Pastor da Igreja Batista é preso em Cuba na véspera da visita da presidente Dilma Rousseff


Pastor da Igreja Batista é preso em Cuba na véspera da visita da presidente Dilma Rousseff
O pastor Mario Felix Lleonart Barroso, líder de uma Igreja Batista em Cuba, foi preso pela polícia política do país no último sábado, 25 de janeiro, na frente da esposa e filhos.
De acordo com informações da Christian Solidarity Worldwide (CSW), o pastor Barroso foi mantido incomunicável no dia em que foi detido, e após ceder amostras de DNA e impressões digitais, foi levado para sua casa, onde é mantido em prisão domiciliar.
A polícia política de Cuba mantém forças de segurança ao redor da residência do pastor, e tentaram intimidá-lo para que assinasse um documento chamado “Advertência Oficial”, que costuma ser usado como evidência contra o acusado em um eventual julgamento futuro. Porém Barroso se recusou a assinar o documento.
“De acordo com a irmã do pastor, Mirka Pena, a prisão do reverendo Lleonart Barroso é parte de uma grande repressão a dissidentes políticos em todo o país, incluindo famosos ativistas, tais como o doutor Oscar Elias Biscet e o vencedor do prêmio Sakharov, Guillermo Fariñas, antes do encontro da Comunidade de Estados da América Latina e Caribe, a ser realizado esta semana em Cuba”, informou a nota da CSW.
O evento que reúne diversos países seria o principal motivo da prisão do pastor. Segundo relatos dos membros da Igreja Batista Ebenezer, Barroso teria recebido a visita de agentes da polícia política dias antes, e teria sido avisado para ficar “quieto” durante a realização do encontro político, e disseram que se ele saísse de casa, seria preso.
A repressão política na ilha governada pelos irmãos Castro é intensa, e outro pastor, Yordani Santí, foi preso no dia 16 de janeiro e interrogado por agentes de segurança, que o ameaçaram de detê-lo definitivamente caso se associasse ao pastor Barroso.
Para o diretor da CSW, Mervyn Thomas, a prisão do pastor evidencia o autoritarismo praticado em Cuba: “Condenamos a prisão do reverendo Lleonart Barroso e estamos particularmente preocupados com o fato da segurança do estado cubano ter recolhido amostras biométricas, de perfume e DNA de um líder de igreja pacífico. Nós pedimos ao governo cubano pela libertação do pastor de sua prisão domiciliar com efeito imediato e a remoção dos agentes de segurança da parte exterior de sua casa e igreja. A prisão e assédio de cubanos de toda a ilha que o governo considera serem dissidentes políticos, mesmo próximo ao encontro de líderes da América Latina em Havana, é uma afronta aos princípios democráticos e respeito pelos direitos humanos em todo o mundo. Nós pedimos aos líderes da América Latina que estarão presente em Cuba nos próximos dias que levantem a questão de Direitos Humanos e se encontrem com alguns dos que estão sofrendo com este assédio”, afirmou.
Já a Associação Nacional de Juristas Evangélicos (ANAJURE) emitiu um comunicado pedindo que os fiéis brasileiros intercedam pela vida do pastor e ressaltou as relações políticas do governo da presidente Dilma Rousseff (PT) com os líderes de Cuba para cobrar explicações sobre o caso.
“Nós pedimos oração pela vida do Pr. Mario e por consolo e força para a família dele. Ressaltamos que enquanto isto acontece, a Presidente do Brasil, Dilma Rouseff, está em Cuba para a reunião da II Cúpula da Comunidade de Estados Latino-americanos e do Caribe (CELAC), e para a inauguração do megaporto de Mariel, que foi construído e financiado pelo Brasil. A ANAJURE, sinceramente, espera que os lucros da obra não sirva apenas de propaganda política, tanto cubana quanto brasileira, mas que ajude a mudar a situação desumana  em que vivem tantos cubanos. Esperamos também que a presidente do Brasil incentive Raul Castro a ouvir pessoas, como o pastor Mario Felix Barroso, que fazem oposição pacífica a um regime político opressor e abusivo”.

Nunca quis gravar aquele corinho, diz autora do hit “Varão da Missionária”

Nunca quis gravar aquele corinho, diz autora do hit “Varão da Missionária”A missionária Leandra Nascimento entrou em contato com o Gospel Prime pedindo que retirássemos o vídeo do ar, pois ela não sabia que tinha alguém gravando. A canção que ganhou o título de “Varão da Missionária” foi uma brincadeira que ela fez no final do culto depois da pregação contando um caso pessoal.
Leandra lembra que fez uma página no Facebook para divulgar o trabalho de seu esposo, que trabalha com manutenção de vídeo games, e viu que uma mulher estava mandando mensagens dizendo que ele era lindo, não sabendo que era ela quem cuidava do perfil.
A resposta de Leandra para a tal mulher acabou virando um corinho, mas ela nunca teve a intenção de gravá-lo. “Na verdade sou pregadora da Palavra, neste dia do episódio eu já tinha ministrado a palavra… nunca pensei em gravar esse corinho.”
A polêmica e as críticas deixaram Leandra bastante decepcionada, pois mesmo sem conhecê-la, os internautas pegaram pesado nos comentários deixados no vídeo.
“Até agora não sei explicar o porquê da reação negativa, não tem nada de agressão ou palavras de racismo ou heresia na música, acho que alguns equivocados tiraram suas conclusões precipitadas sem conhecer de fato as verdades”, disse ela.
Leandra se converteu aos 14 anos e hoje, 20 anos mais tarde, é uma pregadora conhecida na cidade de São João do Meriti (RJ) onde mora. “O vídeo não me prejudicou diretamente, mas indiretamente, pois sou conhecida por ter uma boa palavra. Jamais pensaria usar esses meios pra me destacar”, explica.
“Os comentários mexeram muito comigo, pois sou mãe de duas filhas e tenho uma vida íntegra, fui xingada, como se estivesse cometido um crime mesmo no meio de tanta podridão dentro e fora da Igreja”.
Quem procura por materiais de Leandra Nascimento vai encontrar apenas DVDs de mensagens, pois o primeiro CD com canções ainda será lançado. A missionária fechou contrato com uma gravadora Celebrai Music em 2013 e agora divulga o trabalho cm a músioca “Conquista”.


sábado, 25 de janeiro de 2014

Governo do Irã está banindo o cristianismo e fechando as igrejas em todo o país

Governo do Irã está banindo o cristianismo e fechando as igrejas em todo o país
Nas últimas semanas a atenção mundial se voltou para o Irã por causa dos elogios de diversos líderes internacionais à decisão do país em fechar parte de seu programa nuclear. Parte dessa atenção vem também do fato de que o anúncio do Irã pode motivar o fim de algumas das sanções econômicas impostas a ele pelos Estados Unidos e União Europeia, como parte do acordo feito no ano passado sobre o fechamento do programa nuclear.
Porém, um fato que passa despercebido, apesar de o Irã de estar no centro das atenções mundiais, é a crescente perseguição religiosa que os cristãos enfrentam no país. Segundo Michael Wood do ministério Portas Abertas nos EUA, está em andamento um fechamento sistemáticos das igrejas cristãs em todo o país.
- É basicamente ilegal até mesmo ir a uma igreja – explica Wood, que revela ainda que o governo tem seguido e examinado a vida de supostos cristãos, com o objetivo de fechar as igrejas que estes frequentam.
Com isso, ele conta que muitos grupos de cristãos têm se reunido em casas, ao invés de ir às igrejas. Porém, a reunião de um grande número de pessoas nas casas acaba chamando a atenção também, e toda essa situação tem tornado ainda mais difícil a vida dos cristãos no país.
Segundo Wood a situação dos cristãos no Irã só tem se agravado desde a última eleição presidencial, mas, a despeito disso, um grande número de pessoas está se convertendo, oque gera ainda mais resistência por parte do governo islâmico iraniano.
Em nono lugar na Open Doors World Watch List, publicação anual do ranking de 50 países onde a perseguição aos cristãos é mais severa, o Irã tem reagido de maneiro enérgica ao crescimento do número de cristãos no país, fechando igrejas e perseguindo aqueles que se convertem do islamismo ao cristianismo.
Porém, Wood afirma que “sob a perseguição que está acontecendo, você vê uma Igreja em crescimento”.

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Padre Fábio de Melo defende casamento civil gay no programa altas horas

Padre Fábio de Melo defende casamento civil gayPadre Fábio de Melo defende casamento civil gay
Um dos líderes católicos mais conhecidos do Brasil, o “padre cantor” Fábio de Melo participou do  programa Altas Horas, da rede Globo, que foi exibido na madrugada de domingo, 19.
Entre as perguntas que ouviu da plateia, precisou dizer qual era a sua opinião sobre o casamento gay. O padre, de 42 anos, que é escritor e professor universitário, com pós-graduação na área de educação, elaborou a resposta fazendo uma distinção entre religião e direitos civis.
Evitando uma abordagem direta, explicou: “A gente precisa dividir bem a questão. Uma é a questão religiosa, o posicionamento das religiões, que têm todo o direito de não aceitar, de não ser a favor. É um direito de cada religião. Se você faz parte daquela religião, daquela instituição, você vai submeter-se à regra. Só que há também a questão cível, que não podemos interferir, que não é religiosa, que é o direito de duas pessoas reconhecerem uma sociedade que existe entre elas.”
Para o sacerdote, os líderes religiosos deveriam fazer essa distinção: “Acredito que o esclarecimento que precisamos ter, como líderes religiosos, é justamente a distinção. Se você quiser, pode chamar isso de casamento ou não, mas de uma união que esteja civilmente amparada, para que as pessoas possam garantir direitos que não são religiosos. São duas coisas diferentes”.
Considerado um assunto polêmico, o casamento gay já rendeu fortes críticas aos pastores que se manifestam contrários a ele na televisão, como já aconteceu com Marco Feliciano, Silas Malafaia entre outros.

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Assembleias de Deus são atacadas por monges budistas

Assembleias de Deus são atacadas por monges budistasAssembleias de Deus são atacadas por monges budistas
A polícia do Sri Lanka divulgou a identidade das pessoas que atacaram duas igrejas ligadas à Assembleia de Deus no último domingo. Os ataques foram realizados por 24 homens, sendo que oito deles eram monges budistas.
Ninguém ficou ferido gravemente, mas os membros da igreja contam que foram ameaçados, os dois templos foram vandalizados, com Bíblias e outros livros cristãos sendo queimados. Um pastor relata que foi ameaçado de morte caso não suspenda os cultos.
O porta-voz da polícia Ajith Rohana admitiu “inércia” por parte do departamento de polícia, justificando a falta de prisões por causa do número insuficiente de policiais. Contudo, por força da tradição é muito difícil conseguir prender os monges.
Karu Jayasuriya, um político importante da oposição, pediu uma investigação completa por parte do governo. “O governo deve tomar medidas, ações corretivas, para garantir que isso não volte a acontecer”, declarou à BBC.
Um vídeo que foi parar na internet e retransmitido pelo canal de televisão Derana mostra claramente os monges em frente a um dos templos, gritando insultos, quebrando uma placa e atirando pedras contra os vidros.
O pastor Ranjan Perumal conta que um grupo invadiu sua igreja e começaram a tentar colocar fogo em tudo, enquanto janelas, portas e instrumentos musicais eram quebrados.
Um representante dos monges alega que as Assembleias de Deus estão operando ilegalmente. Os pastores se defendem, mostrando que estão registrados sob a lei do Parlamento e estão operando de forma legal.
Outros ataques semelhantes foram registrados na época do Natal de 2013.  O Sri Lanka vive um momento de nacionalismo, e os budistas tem pedido a proibição de outras religiões “estrangeiras”.
Um porta-voz das Assembleias disse à imprensa “Somos gratos a Deus que nenhuma vida foi perdida, mas solicitamos seu apoio urgente em oração pela justiça. Que a paz e o bom senso prevaleça e que Deus proteja nossos pastores, os fiéis e suas famílias”. Com informações Christian Headlines.

Professora repreende aluna de seis anos que falou sobre Jesus e citou versículo da Bíblia durante aula

Professora repreende aluna de seis anos que falou sobre Jesus e citou versículo da Bíblia durante aula
Uma aluna do Ensino Fundamental foi reprimida por sua professora ao falar sobre Jesus e citar a passagem bíblica de João 3:16 durante uma atividade de Natal. A informação só veio à tona agora, depois que a entidade Defensores da Fé e Liberdade denunciou o ocorrido.
Brynn Williams, 6 anos de idade, frequenta uma escola pública em Temecula, na Califórnia, Estados Unidos, e durante uma atividade de montagem de uma árvore de Natal, ela havia ficado responsável por colocar a estrela no topo.
A menina disse que sua família a havia ensinado que aquele objeto representava a Estrela de Belém, que tinha servido de guia para os três reis magos “encontrarem o menino Jesus, Salvador do mundo”.
Quando Brynn começava a complementar sua explicação citando João 3:16, a professora a interrompeu e mandou-a sentar, dizendo que “não a autorizava falar sobre a Bíblia ou compartilhar seus versos” durante as aulas.
A entidade Defensores da Fé e Liberdade divulgou um comunicado manifestando indignação com o ocorrido, e frisando que os Estados Unidos atravessam uma “epidemia” de intimidação a cristãos nas escolas públicas do país, o que vai na direção contrária à liberdade religiosa e de expressão garantidas na Constituição.
“Espero que a escola assuma o papel de aderir a uma política exemplar para este tipo de abuso que se torna cada vez mais comum aos estudantes que assumem sua religiosidade”, disse Robert Tyler, representante dos Defensores da Fé e Liberdade.
A escola respondeu ao comunicado afirmando que ainda investiga a denúncia e que quer esclarecer os fatos antes de estabelecer as medidas cabíveis ao caso, pois “leva muito a sério qualquer alegação de discriminação”.

quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

O casamento das pastoras Lanna Holder e Rosania Rocha




O casamento das líderes da igreja inclusiva Comunidade Cidade de Refúgio, pastoras Lanna Holder e Rosania Rocha, aconteceu no dia 19 de Dezembro de 2013.

Acerimônia foi realizada num castelo em Mauá, interior de São Paulo: “Minha mulher é uma rainha, então nada mais adequado”, afirma Lanna Holder.

Lanna e Rosania não economizaram no vestido e na decoração da festa.




Elas se envolverem sentimentalmente, quando ainda estavam casadas.

Rosania postou no Twitter



Confeiteiro cristão não faz bolo de casamento gay e é processado por discriminação

Confeiteiro cristão não faz bolo de casamento gay e é processado por discriminaçãoConfeiteiro não faz bolo de casamento gay e é processado por discriminação
Quando a Masterpiece Cakeshop se negou a fazer o bolo de casamento de dois homens não sabia que passaria a enfrentar um processo judicial.
O casal formado por Charlie Craig e David Mullins esteve na confeitaria que fica no estado de Colorado, nos Estados Unidos, para encomendar um bolo e foram surpreendidos ao terem o pedido negado pelo dono do estabelecimento, Jack Phillips.
Ao dizer que não poderia fazer nenhum trabalho com referência a um casal formado por pessoas do mesmo sexo, o confeiteiro foi processado e agora corre o risco de perder a empresa.
A ação contra o profissional cristão foi aberta com ajuda da União Americana pelas Liberdades Civis (ACLU) que com o testemunho de Craig e Mullins argumentava sobre discriminação.
A decisão do tribunal, assinada pelo juiz Robert N. Spencer, pediu que o confeiteiro mudasse seu posicionamento para poder voltar a trabalhar com a Masterpiece Cakeshop, caso contrário a empresa será fechada.
“Os fatos incontestáveis mostram que os entrevistados foram discriminados por sua orientação sexual, com a recusa da comercialização de um bolo de casamento de duas pessoas do mesmo sexo”, escreveu Spencer em sua deliberação.
O confeiteiro agora conseguiu apoio jurídico da Aliança em Defesa da Liberdade (ADF) que irá recorrer da decisão mostrando que a deliberação fere os direitos de liberdade de expressão da arte de confecção de bolos.
A ideia dos advogados é mostrar que o confeiteiro, como um artista, tem liberdade para criar o que quiser, sem ter uma lei ou determinação o obrigando a criar algo que ele não queira, ou não aceite.
Eles também irão alegar que ao negar o pedido de confeitar um bolo de casamento gay, Phillips não atacou a orientação do casal, mas sim protegeu sua “crença cristã inabalável”. Com informações Christian Post.