quarta-feira, 31 de julho de 2013

O Coxo da Porta Formosa

Por que permanecer em prisão quando há uma Porta aberta?

Wilma Rejane


E Pedro e João subiam juntos ao templo à hora da oração, a nona.E era trazido um homem que desde o ventre de sua mãe era coxo, o qual todos os dias punham à porta do templo, chamada Formosa, para pedir esmola aos que entravam.Atos 3:1-2




Essa é uma passagem Bíblica bem conhecida e é difícil ouvir coisas  novas sobre ela porque em uma primeira vista já transmite algo tão glorioso que por si só basta: nem alegorias, nem entrelinhas, nem contexto histórico seriam capazes de acrescentar informações mais valiosas que a cura de um coxo através da fé no Nome de Jesus. E foi exatamente a objetividade de Lucas ao descrever a cura do coxo que me instigou na busca sobre : quem era esse coxo e o que significava a tal porta Formosa? Como disse anteriormente, o desconhecimento dessas informações não diminui  o poder da mensagem. Porém, o aprofundamento nos detalhes nos proporciona maravilhamento quanto ao agir de Deus: Ele é perfeito e faz com que todas as coisas, de fato, contribuam para o bem dos que O amam (Romanos 8:28). Assim, com a presença de Deus entre seu povo, um simples encontro no meio da rua, a caminho de algum lugar,  possibilita acontecimentos extraordinários. Foi o que aconteceu com o coxo da Porta Formosa.



A Porta Formosa – Dados históricos


No capitulo três do livro de Neemias é descrita  a reconstrução das doze portas do templo de Jerusalém, mas a porta Formosa não aparece, pelo menos com esse nome. A menção a essa porta, só aparece no livro de Atos dos apóstolos. O historiador Flávio Josefo, relaciona Formosa como sendo a mesma “Porta de Jafa” ou “Porta Velha”  no exterior do templo, uma pré porta de acesso ao pátio das mulheres. Os árabes chamam-na de “ Bab el Jalil (Porta do Amigo); abre-se para oeste, em direção ao porto da Cidade de Jafa. É a mais conhecida e movimentada de todas, devido ao constante fluxo de turistas de todos os lugares do mundo.

Atualmente as portas de Jerusalém são em número de oito e não mais doze. O que teria acontecido as outras quatro portas? Eu jamais teria observado esse importante fato se não fosse o relato sobre a Porta Formosa em Atos dos Apóstolos. As portas que não mais existem são: Porta de Efraim, Mifcade, dos Cavalos e porta Oriental (dourada ou da compaixão). Pelo menos sobre esta última há explicação concreta: se encontra lacrada, Jesus entrou por ela assentado em um burrinho ao ser aclamado pela multidão como Rei e Messias. (Mateus 21). Os judeus aguardam a chegada do Messias entrando por esta porta.

Ez 44.2 – “E disse-me o Senhor: Esta porta estará fechada, não se abrirá;  ninguém entrará por ela, porque o Senhor Deus de Israel entrou por ela; por  isso estará fechada”.






Deus tem o controle e o domínio sobre todas as coisas. Jerusalém terrestre é uma analogia a Jerusalém celestial: (Apocalipse 21:2:)” Vi também a cidade santa, a nova Jerusalém, que descia do céu, da parte de Deus, ataviada como noiva adornada para o seu esposo.” E se antes tinha doze portas e hoje somente oito, tem algum sentido. Considerei importante fazer essas observações, mas para não fugir ao tema, voltemos para a Porta Formosa.

A Porta Velha mesma  Formosa (Neemias 3.6) - “Jeoiada, filho de Paséia; e Mesulão, filho de  Besodéias; restauraram a porta velha, estes a emadeiraram, e levantaram as suas portas com as suas fechaduras e os seus ferrolhos”. Segundo a tradição, esta porta simbolizava a tradição e a história falada dos hebreus, o tesouro antigo, acerca das gerações de sua origem. 

Mapa atual das portas de Jerusalém






O Coxo


Seu nome não é mencionado, Atos 4:22 diz que ele  tinha 40 anos quando encontrou Pedro e João na Porta Formosa, a deficiência era de nascença. Há quem diga que ele não estava exatamente na porta Formosa, mas a caminho dela quando encontra os apóstolos. Não comungo dessa interpretação. Mas a caminho, sendo carregado, ou já assentado no lugar de sempre, o importante foi que aquele  seria um dia diferente:




“E Pedro e João subiam juntos ao templo à hora da oração, a nona.  E era trazido um homem que desde o ventre de sua mãe era coxo, o qual todos os dias punham à porta do templo, chamada Formosa, para pedir esmola aos que entravam. O qual, vendo a Pedro e a João que iam entrando no templo, pediu que lhe dessem uma esmola. E Pedro, com João, fitando os olhos nele, disse: Olha para nós. E olhou para eles, esperando receber deles alguma coisa. E disse Pedro: Não tenho prata nem ouro; mas o que tenho isso te dou. Em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, levanta-te e anda. E, tomando-o pela mão direita, o levantou, e logo os seus pés e artelhos se firmaram. E, saltando ele, pôs-se em pé, e andou, e entrou com eles no templo, andando, e saltando, e louvando a Deus.”  Atos 3:1-8

Eram três horas da tarde, de grande fluxo de pessoas no templo. Imagino que o coxo tinha vários pontos de esmolar pela cidade e pessoas com quem dividia o apurado como forma de retribuir o favor de carregá-lo de um lado para outro. Afinal, um homem de 40 anos, deveria pesar consideravelmente. Certamente já havia encontrado Pedro e João outras vezes e pedido moedas. Os apóstolos reparavam nele, mas ele não fazia pausa alguma para conhecer melhor o que tinham para falar. O coxo já estava acostumado com o ser levado,  sustentado e sobreviver de forma tão dificultosa. Quando se acostuma com o mal, ele até se torna aceitável e deixa de incomodar. Isso acontece constantemente e é a causa de não se procurar por mudanças. A porta Formosa estava repleta de mendigos, que por algum motivo, esperavam caridade dos religiosos, do lado de fora do templo, porque se achavam indignos, de frequentar o interior do local. Ou o mundo os tinha convencido disso.

Algo que me chama bastante atenção nesse milagre é o fato de que imediatamente após ser curado, o homem entra no templo e segue com os discípulos até o pórtico de Salomão, um lugar que ele só imaginava como era, mas nunca tinha estado. Quanta alegria, quantos louvores não deve ter saído dos lábios daquele que era coxo e também dos que o viam! Agora ele sabia que existia algo muito mais precioso que o ouro ou a prata que ajuntava em seus depósitos e que às vezes lhe faltava.



Considerações Finais


Querido leitor, quero destacar algo que também me chama a atenção nessa história:  “E Pedro, com João, fitando os olhos nele, disse: Olha para nós. E olhou para eles, esperando receber deles alguma coisa”. (Atos 3:4,5). Os discípulos se abaixaram para olhar nos olhos daquele coxo, um ato de amor e compaixão que talvez ninguém tenha ousado fazer antes. O coxo pedia e as pessoas davam, jogavam moedas em suas mãos, sua cesta e prosseguiam seus caminhos. O coxo era “o coxo” e sua condição era insignificante aos olhos de muitos. Mas vem Pedro e João, enviados de Deus, falando em Nome de Jesus e dizendo: “Eu me importo com você, desço até sua miséria para te resgatar porque você é precioso para mim, te comprei pelo mais alto preço”. Oh glória! Quem é que resgata o pobre da lama, do calabouço? Quem olha nos olhos e sente todo drama, dor ? Somente Jesus!


Assim, a Porta Formosa  a partir do relato de Atos 3, representa Porta de entrada para o Reino celestial, para o conhecimento da Verdade Salvífica, para a grandeza do Nome de Jesus!

Deus o abençoe.

Fontes: Bíblia de Estudo Plenitude, Caapitulo 3, Atos dos Apóstolos.
Simbolismos das Portas de Jerusalém, de Benne Den em PDF

Marco Feliciano prende manifestantes gays durante culto

Marco Feliciano prende manifestantes gays durante cultoMarco Feliciano prende manifestantes gays durante culto
O culto de celebração dos 85 anos da Assembleia de Deus na orla de Santarém, Pará, acabou em confusão e prisões. O inusitado da situação foi que a ordem de prisão partiu do pregador, no caso pastor evangélico e deputado Marco Feliciano, presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara de Deputados.
Um grupo de manifestantes protestou contra a presença dele na cidade no culto realizado ontem (30), empunhando bandeiras e gritando palavras de ordem contra o deputado e a favor da causa gay. Algo que fazia parte de um manifesto organizado pelo Grupo Homoafetivo de Santarém – GHS, pelo coletivo Rosas de Liberdade e pela União dos Estudantes Secundaristas de Santarém. Eles percorreram ruas da cidade pedindo a renúncia do pastor Marco Feliciano e decidiram ir ao culto protestar. O pastor, que pregava no momento, interrompeu o culto e pediu que eles fossem retirados do local pela Polícia Militar, avisando que já havia prendidos outros por perturbação.
Enquanto defende a liberdade de culto, os manifestantes alegam liberdade de expressão, uma vez que o culto ocorria em local público. Os seguranças contratados pela igreja e os policiais tentaram retirar os manifestantes do local. Com a recusa deles, a polícia usou spray de pimenta e ocorreram agressões de parte a parte.
No final, três jovens foram detidos por perturbação e resistência a prisão. Alguns outros dizem ter sofrido lesões causadas pelas agressões dos policiais.
Segundo foi apurado, enquanto fazia sua pregação, por volta das 21h, Marco Feliciano percebeu que pessoas empunhavam a conhecida “bandeira colorida gay”. Do púlpito, ele questionou “Eu queria saber onde estão os policiais que estão aqui? Tem uma bandeira do movimento LGBT sendo sacudida e essas pessoas estão atrapalhando o culto. Isso é proibido pela lei! Essas pessoas podem sair daqui presas, algemadas agora! Semana passada eu já prendi dois. Isso aqui não é a casa da Mãe Joana, isso aqui é uma igreja, respeitem”.
Estava formada a confusão que terminou na prisão de Renan Luis, Pedro George e Gean Miranda, acusados de perturbação da ordem pública e resistência à prisão.
Juliane Fontinele, advogada dos manifestantes, declarou que as agressões começaram da parte dos seguranças contratados pela igreja e da polícia e que foi usada força excessiva, causando ferimentos nos jovens. Já, a advogada Eyceila Menezes, representando a Assembleia de Deus, afirmou que a igreja não irá prestar queixas contra os manifestantes. O pastor Edenilson Moura, da Assembleia de Deus, explicou que não foram contratados seguranças particulares para o evento, mas eram voluntários da igreja que davam apoio para manter a ordem.
O delegado Tiago Rabelo disse que irá investigar as denúncias. Os manifestantes teriam acordado anteriormente com a polícia que não iriam até o local do culto. Mas eles foram até lá, pularam duas barreiras montadas pela Polícia Militar e atrapalharem o culto gritando conta o pastor.
Já o comandante da Polícia Militar, coronel Risuenho, explicou que o comando não recebeu denúncia oficial contra os policiais pelo uso de força excessiva contra os manifestantes. “No local, eles montaram uma briga e foram retirados pelos policiais”, declarou à imprensa. Com informações Diário do Pará.
Assista:

segunda-feira, 29 de julho de 2013

Pastor Silas Malafaia critica discurso de humildade do papa Francisco na JMJ

Pastor Silas Malafaia critica discurso de humildade do papa Francisco na JMJ e bate-boca com padre no Twitter; Entenda
No reta final da Jornada Mundial da Juventude (JMJ), no Rio de Janeiro, neste final de semana, o pastor Silas Malafaia publicou diversas críticas à Igreja Católica através de seu perfil no Twitter.
Malafaia partiu da notícia de que a denominação liderada pelo papa Francisco estaria se organizando para estancar a perda de fiéis para as igrejas evangélicas no Brasil.
“A última está nos jornais de hoje: papa reúne 300 bispos para falar da perda católicos para os evangélicos. Quem esta preocupado? Tenho que [rir] kk Falar a verdade está incomodando? É recalque citar textos da Bíblia? Confrontar idéias virou inveja? Me confronte com a Bíblia ou ideias. A verdade absoluta para nós evangélicos é Jesus e não o papa. Reconhecemos que o papa é apenas o líder de uma religião, nada mais, nada menos. Estou no estado democrático de direito. Sou livre para discordar do que quiser e emitir a opinião que desejar. Se você não gosta, problema seu”, escreveu o pastor.
As publicações de Silas Malafaia desagradaram leitores de sua timeline, e o pastor passou a criticar ainda mais os que discordavam de sua opinião: “Tenho que rir, falar a verdade é ter ódio. A verdade é que tem gente que não suporta a verdade, quando ela o confronta. Deixa eu [rir] ahahahahahah Alguns católicos que não sabem discutir ideias estão atacando a minha moral. Querem respeito mas não respeitam os outros. Não estou preocupado se estou ou não agradando. O politicamente correto hoje é concordar com tudo que o papa faz ou fala. Sou livre para discordar. Incrível! As pessoas dizem que querem a democracia mas não suportam o contraditório. Graças a Deus o Brasil não tem religião oficial. Liberdade de expressão para todos dizerem a mesma coisa é ditadura da opinião. Pseudos democráticos aprendam a viver com opiniões contrarias”, retrucou o pastor.
twitter pastor silas malafaia
Em dado momento, Malafaia foi mais incisivo em suas críticas à Igreja Católica e ao discurso de simplicidade do papa Francisco: “Já que estão apelando para calúnia e difamação, não vou usar esse expediente. Segura algumas verdades para calarem a boca. [...] O Vaticano possui uma das maiores reservas de ouro do mundo. Os bilhões de dólares fraudados do banco do Vaticano dirigido por cardeais… milhões e milhões de reais de ofertas e dizimo de católicos enviados para cobrir o rombo do banco. Querem falar de pastores? Calem a boca. Já foram no Vaticano para ver a pobreza que é? Eu já estive lá. Calem a boca para falar de pastor. Conversa fiada de pobreza”, publicou Malafaia, que é defensor da teologia da prosperidade.
Nesse ponto, o padre Roger Luis reagiu e lamentou a postura de Silas Malafaia, dizendo que suas palavras incentivavam o confronto: “Querido irmão, infelizmente sua postura é lamentável. Mas a vida continua, o caminho de Cristo é o da Cruz. Deus sonda os corações, deixemos os julgamentos para Ele. O mais importante é que as palavras do Papa alcançaram os corações!”, observou.
twitter padre roger luis
Malafaia respondeu aos tweets do padre com mais ataques: “Não gosta do que falo, porque me acompanha? Cai fora se não gosta do contraditório. Se me acompanha e me acha inescrupuloso, você é pior do que eu. Olha a nossa preocupação: segundo o IBGE, nós, os evangélicos em 2020 serão maioria no Brasil. Como estamos preocupados, deixa eu [rir] kkkkkkk O único país do mundo onde os 3 últimos papas estiveram foi o Brasil. Somos nós que estamos preocupados? Deixa eu rir mais um pouco kkkkkkkkk”, ironizou o pastor.
Incomodado com a postura agressiva de Silas Malafaia, Roger Luis voltou a afirmar que o pastor estava adotando uma postura equivocada: “Deveria ser um tempo de unidade para derrubarmos as forças do mal na política abortista, e o que vemos é expressões de divisão! Que bom pastor, o IBGE é o Espírito Santo, agora é ele que define as coisas e não Deus? Faz-me rir irmão! Quem define as coisas no Reino Espiritual não é o IBGE irmão, mas o Espírito Santo, o Deus Todo-Poderoso. Ele nunca erra!”, disse o padre.
Depois, sem mencionar diretamente o pastor Silas Malafaia, o padre falou de forma mais abrangente sobre a questão: “Me pergunto se existe diferença no protesto das ‘vadias’ e de alguns que estão criticando a Igreja e o Papa? Percebo que é o mesmo espírito. Saibamos discernir os espíritos, já nos alertava S. João, sobre o discernimento! É hora de diferenciar os lobos e os pastores! Seja sincero! Fiquemos com a mensagem de amor, paz, unidade, conversão, capacidade de lutar contra a corrente, do nosso Pastor, o Papa Francisco. Os incomodados que se convertam, nós vamos incomodar ainda mais com a luz e a força do Evangelho, do perdão, do amor! É um novo tempo!”, afirmou.

quinta-feira, 25 de julho de 2013

Papa Francisco é um Marco Feliciano com mais poder e o apoio da Globo, afirma jornalista

Papa Francisco é um Marco Feliciano com mais poder e o apoio da Globo, afirma jornalista
O jornalista Lino Bocchini publicou em sua coluna no site da revista Carta Capital um artigo no qual compara o papa Francisco, que está no Brasil para a Jornada Mundial da Juventude, com o pastor e deputado federal Marco Feliciano, que é também presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara.
Classificando o líder da Igreja Católica como um “Feliciano com muito mais poder e o apoio da Globo”, Bocchini afirma que motivações como homofobia, machismo, apego ao dinheiro e religião interferindo no Estado seriam comuns entre o Papa Francisco, Marco Feliciano, e também o pastor Silas Malafaia. Ele afirma ainda que o papa Francisco teria um agravante em ralação a Feliciano, que é o fato de deter mais poder, e que os evangélicos são injustiçados por receberem um “tsunami de críticas” ao defenderem os mesmos ideais que o papa.
- As mesmas bandeiras conservadoras levantadas pelo presidente da Comissão de Direitos Humanos do Congresso estão no centro da atuação da igreja católica há séculos – afirma, ressaltando que o atual pontífice comunga destes ideais e não se mostra disposto a alterá-los.
Ao justificar sua acusação de homofobia dirigida ao líder católico, o colunista cita uma preocupação do papa com o que chama de “lobby gay” no Vaticano, citando o site católico Reflexión y Liberación, para o qual o papa teria afirmado: – Na Cúria há gente santa de verdade. Mas também há uma corrente de corrupção, é verdade. Fala-se de lobby gay, e é verdade, ele está aí… temos que ver o que podemos fazer.
O machismo também foi citado na comparação, justificado pelo colunista pelo fato de a Igreja Católica não ordenar mulheres, e também pela luta travada tanto por líderes católicos quanto evangélicos contra a legalização do aborto.
Uma reportagem da revista Exame que afirma que o Banco do Vaticano gere cerca de 6 bilhões de euros em ativos e um vídeo que circulou recentemente, no qual Marco Feliciano pedia a senha de um cartão de crédito para um fiel, foram os exemplos usados para afirmar que os religiosos citados se atém ao dinheiro, apesar da recente recusa do papa Francisco a luxos e regalias aos quais o líder máximo da Igreja Católica normalmente são submetidos.
- Não sou um estudioso do cristianismo, mas acredito que valores como ajuda ao próximo, desapego e amparo aos pobres não combinam com a acumulação de fortunas dessa grandeza – afirma Bocchini, que também criticou o que ele classificou como “promiscuidade com o poder público”, citando a proximidade de líderes religiosos com a política e também a presença de crucifixos em repartições públicas e até mesmo “mensagens religiosas nas notas de dinheiro”.
Lino Bocchini finaliza afirmando que Marco Feliciano é injustiçado por ser, supostamente, hostilizado pela imprensa, enquanto o papa Francisco foi recebido de braços abertos por vários canais de comunicação, mas critica a missa de domingo transmitida há anos pela Rede Globo, bem como a recente aproximação da emissora com o público evangélico.
Pelo Twitter, Marco Feliciano comentou a comparação feita na revista Carta Capital, e também a diferença de tratamento existente, por padre de emissoras como a Rede Globo, às ideias defendidas por católicos e evangélicos.
- Qdo falo de preconceituoso religioso e perseguição religiosa contra evangélicos, me chamam de teórico da conspiração. Desperta igreja! – escreveu Feliciano.

Mendigo que emocionou ao cantar em igreja grava CD e vídeo clipe

Mendigo que emocionou ao cantar em igreja grava CD e vídeo clipeMendigo que cantou na igreja grava CD e vídeo clipe
Em janeiro deste ano um vídeo com um morador de rua cantando dentro de uma igreja fez muito sucesso chegando a quase 1 milhão de acessos em menos de uma semana.
Antenorgenes Silva Fernandes, o mendigo que aparece cantando a música de William Nascimento, conta que foi morar nas ruas da cidade mineira de Santos Dumont após a morte do seu pai, se tornando um usuário de drogas.
“Eu dormia na rodoviária e teve um dia que até tentaram tocar fogo em mim lá”, disse ele em uma reportagem. Sua vida começou a mudar no dia que ele aceitou participar de um culto.
Foi ali que ele conversou com o pastor e falou que sabia cantar músicas evangélicas. O pastor gravou o vídeo e postou na internet.
Os fiéis da igreja se tornaram amigos de Antenorgenes que hoje mora com uma família que aceitou acolhê-lo. Hoje o ex-mendigo conseguiu gravar um CD e até mesmo um vídeo clipe com a música “Um Milagre em Jericó”.
Assista:

terça-feira, 23 de julho de 2013

Disney apresentará casal gay em série para crianças

Disney apresentará casal gay em série para criançasDisney apresentará casal gay em série para crianças
Em 2014 um dos episódios da série infantil “Boa Sorte, Charlie” vai mostrar pela primeira vez um casal homossexual formado por duas mulheres. A ideia foi pensada e discutida pela direção da Disney Channel que procurou ouvir conselheiros comunitários que apoiaram a iniciativa.
A aparição do casal gay vai acontecer durante uma festa de jogos infantis que Amy e Bob Duncan (Leigh-Allyn Baker e Eric Allan Kramer), vão organizar para Charlie (Mia Talerico). As mulheres serão mães de uma das crianças que brincam com Charlie.
“Tal como grande parte da programação do Disney Channel, esta narrativa foi desenvolvida no sentido de ser relevante para as famílias de todo o mundo, refletindo temas de diversidade e inclusão social”, explicou um fonte oficial do Disney Channel.
A série “Boa sorte, Charlie” é uma das atrações de maior sucesso do canal, a estreia aconteceu em 2010 e até hoje obtém grandes índices de audiência. A temporada de 2014 vai encerrar o seriado abordando então a famílias que são formadas por casais homossexuais.
A iniciativa da empresa recebeu apoio de Miley Cyrus, que por anos deu vida à personagem Hannah Montana, ela que está cada vez mais empenhada nas causas dos direitos aos homossexuais aplaudiu a escolha da emissora em abordar este assunto usando sua conta no Twitter.
“Isto é verdade?! Só posso defender a Disney ao dar este passo. Eles controlam muito o que as crianças pensam. A vida não se resume a cenários e roupas brilhantes, ou até mesmo a miúdos que se tornam estrelas. Isto é inspirador”, disse ela. Com informações Público.pt

Grupo cristão protesta contra o “Gay Day” na Disney



Um grupo de cristãos resolveu protestar contra o Gay Day, evento anual que acontece na Disney World. Para alertar os visitantes do parque que não sabem da comemoração, eles alugaram um avião que durante dois dias sobrevoou a Disney informando sobre o evento.
O aluguel do avião custou sete mil dólares. O grupo cristão Associação de Famílias da Flórida se justificou dizendo que muitas pessoas entram no parque sem saber o que está acontecendo e vão embora quando vêem casais homossexuais se beijando e com camisetas fazendo apologia ao homossexualismo.
Já para o organizador do evento, Chris Alexander-Manley, o Gay Day está melhorando a economia da região e seus participantes se comportam melhor que os demais usuários do parque.
O Day Gay , evento que acontece desde 1991 e recebe mais de 150 mil pessoas.

Nova pesquisa mostra que evangélicos chegam a 28% e católicos caem para 57%

Nova pesquisa mostra que evangélicos chegam a 28% e católicos caem para 57%; Apenas 24% dos pentecostais são contra lei que pune homofobia
Em meio aos esforços da Igreja Católica e do papa Francisco para reverter a perda de fiéis no Brasil, pesquisas realizadas pelos institutos Data Popular e Datafolha revelaram que, num âmbito geral, o crescimento dos evangélicos aumentou desde a realização do último Censo realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2010.
Os dados coletados pelo Datafolha na pesquisa por amostragem realizada com 3.758 pessoas em 180 municípios mostram que o número de católicos no Brasil caiu de 63% em outubro de 2010 para 57% em junho de 2013. Nesse mesmo período, evangélicos passaram de 24% para 28% da população. O número de espíritas permaneceu inalterado: 3%.
A fé dos jovens brasileiros
A pesquisa feita pelo Datafolha tem como metodologia entrevistar pessoas com 16 anos ou mais. Entretanto, as informações não enfatizam a faixa etária, enquanto o relatório do Data Popular mostra os dados por grupos etários.
No levantamento do Datafolha, o histórico mostra uma queda vertiginosa no número de católicos ao longo dos últimos 20 anos: em 2010, os fiéis romanos eram 63%; em 2007, 64%; já em 1994, 75%.
O instituto Data Popular publicou o relatório do levantamento feito junto a 1.501 pessoas em 100 cidades, e descobriu que entre os jovens de 16 e 24 anos, 44,2% são católicos, menos da metade. Os evangélicos somam 37,6%, enquanto adeptos de outras religiões são 6,7% e 11,5% afirmaram não possuir religião.
De acordo com informações do G1, a pesquisa mostra que na faixa etária a partir dos 50 anos, 57,9% se declararam católicos, 27% evangélicos, enquanto 11,1% disseram serem adeptos de outras religiões e apenas 4% não possuem religião.
A mobilização da Igreja Católica para reverter o quadro que se acentua só aconteceu depois que os números foram revelados pela mídia, diz um dos cardeais brasileiros que fizeram parte do último conclave, que elegeu Jorge Mario Bergoglio ao pontificado: “Talvez nós tenhamos nos acomodado e pode ser que o crescimento do movimento neopentecostal tenha nos feito acordar, nos despertar para a nossa verdadeira missão”, afirmou dom Raymundo Damasceno Assis, arcebispo de Aparecida.
Retrato social
O retrato social destes números pode ser sentido na sociedade através de diversas formas. Nas ruas, é cada vez maior o número de templos evangélicos, das mais diversas denominações; Na política, a Frente Parlamentar Evangélica (apelidada de bancada evangélica) conta com dezenas de deputados; Na música, é cada vez maior o número de artistas gospel que conseguem espaço nas emissoras de TV; etc.
Um dado relevante sobre a pesquisa do Datafolha se refere aos costumes dos adeptos de cada vertente do cristianismo. Entre os evangélicos, apenas 24% dos pentecostais são contrários à lei que pune a homofobia. 21% dos evangélicos não pentecostais se manifestaram contrários ao PL 122. Já entre os católicos, apenas 16% se manifestaram contra o projeto.
Confira o infográfico da pesquisa feita pelo Instituto Datafolha:
infografico Folha - religiao1
infografico Folha - religiao2
infografico Folha - religiao3

segunda-feira, 22 de julho de 2013

Ibope mostra empate técnico entre Dilma e Marina no segundo turno

Ibope mostra empate técnico entre Dilma e Marina no segundo turnoIbope mostra empate técnico entre Dilma e Marina no segundo turno
De acordo com pesquisa feita pelo Ibope em parceria com o jornal O Estado, Dilma Rousseff (PT) e a ex-ministra Marina Silva (sem partido), aparecem tecnicamente empatadas em simulação de segundo turno: Dilma tem 35% contra 34% de Marina. A margem de erro máxima é de dois pontos porcentuais, para mais ou para menos.
A pesquisa do Ibope/Estadão foi feita entre quinta-feira e domingo, 11 e 14 de julho, em 140 municípios de todos os Estados do Brasil com 2.2002 pessoas e revelam que Marina é a única candidata até o momento que conseguiria empatar com Dilma nas simulações de segundo turno.
No confronto Dilma contra Aécio Neves (PSDB), a presidente leva 12 pontos de vantagem: 38% a 26%. A taxa de branco/nulo, porém, sobe de 19% para 24% nesse cenário, mostrando que parte dos eleitores que votariam em Marina preferem anular a votar no tucano.
Contra Eduardo Campos (PSB) ou contra o presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, Dilma teria uma vantagem mais folgada do que contra Aécio. A presidente bateria o governador de Pernambuco por 39% a 19%, e venceria Barbosa por 40% a 22%, se a eleição fosse hoje.

Chifres” do papa: descuido ou profecia?

“Chifres” do papa: descuido ou profecia?"Chifres" do papa: descuido ou profecia?
O papa Francisco é o personagem da semana para a conceituada revista Time.  Primeiro sumo pontífice da América Latina, ele chega ao Brasil para se reunir com jovens católicos na Jornada Mundial da Juventude (JMJ). A Time dá destaque ao evento em sua capa da edição que chega às bancas nesta segunda. O problema é que a imagem gerou especulações e indignou muitos católicos.
Seja por descuido ou não, uma foto do perfil de Francisco nas sombras acompanhado do título “O Papa do povo” dois chifres vermelhos em sua cabeça, que seriam o topo da letra ‘M’, mas que conferem a ele um ar diabólico. Muitas reclamações por parte dos católicos e alvo de muitas piadas dos não católicos invadiram as redes sociais depois que a imagem foi divulgada.
O assunto chegou a ser um dos comentados pelos usuários doTwitter nos EUA este domingo.
O tom da matéria enfatiza como o ex-cardeal Jorge Mario Bergoglio está redefinindo o papado “com humildade e sinceridade” e fala sobre como suas ideias podem influenciar o catolicismo na América Latina. Mas a imagem positiva do homem contrasta com a imagem considerada subliminar na capa, especialmente por que ela está apenas na edição internacional da revista, que circula na Europa, na Ásia e na América Latina.
A matéria de capa nos EUA dá destaque à polêmica da morte do jovem negro Trayvon Martin, morto pelo segurança George Zimmerman. O ocorrido tornou-se um símbolo do pedido de revisão do sistema judicial americano e que envolveu até o presidente Obama.
Time Billy Graham
Muitos apontam para capas similares, onde presidentes como Clinton e Obama, e outra figura como o presidente do Irã e o pastor Billy Graham já apareceram com “chifrinhos” similares.  Ou seja, seria apenas mais uma coincidência na sobreposição do logotipo da revista sobre uma foto.

Contudo, a teoria de que Francisco é o último papa é especialmente forte nos EUA.  Este mês foi publicado o livro “The Last Pope?” [O último papa?] de Thomas Horn. O autor resgata uma antiga profecia católica, feita por São Malaquias, um santo católico que viveu na Irlanda mais de oito séculos atrás.
Sua “Profecia dos Papas”, como ficou conhecida, é uma previsão publicada no ano 1139 que listava os 112 papas que iriam ocupar o trono no Vaticano até que o Anticristo surja, seja derrotado e Jesus volte para reinar sobre o planeta.
Thomas Horn, que é evangélico, não tem dúvidas que a profecia está correta e que Francisco é“Petrus Romanus”, que em latim significa “Pedro, o Romano”. Ou seja, o 112º e último papa.
Horn explica que a última linha da Profecia diz: “Chegará a Roma de uma terra distante…Na perseguição final à Santa Igreja Romana, reinará Pedro o Romano, que apascentará suas ovelhas entre muitas tribulações, e depois disto, a cidade entre sete colinas [Roma] será destruída e o juiz terrível julgará o povo”.
O autor não tem dúvidas que Francisco ajudará a Igreja Católica a voltar às suas raízes, promovendo uma limpeza, e já está agindo como o apóstolo Pedro dois mil anos atrás, falando sobre humildade, amor aos pobres e dizendo que deseja limpar a igreja de seus escândalos sexuais e financeiros. Com informações WND.

sábado, 20 de julho de 2013

Papa enfrenta 1º escândalo do pontificado

Revista italiana diz que diplomata escolhido por Francisco para liderar reforma no Instituto para as Obras de Religião teve relacionamento gay com capitão da Guarda Suíça

O papa Francisco vive o primeiro escândalo do pontificado, com a revelação de uma revista italiana do lobby gay presente no banco do Vaticano. A acusação é de que a pessoa escolhida por ele para liderar a reforma no Instituto para as Obras de Religião (IOR), a instituição financeira da Santa Sé, levou por anos uma vida dupla como diplomata no Uruguai.
A revelação coube ao experiente jornalista da revista L’Espresso Sandro Magister. Os relatos sobre o monsenhor d. Battista Mario Salvatore Ricca surgem repletos de escândalos sexuais. Apesar de ser religioso e ocupar o cargo de núncio apostólico, teria oferecido trabalho e casa a um capitão da Guarda Suíça, com quem mantinha um caso. Com frequência seria visto em bares com ele e até chegou a ser espancado.


A Santa Sé desmentiu a publicação, mas a revelação fez surgir comentários dentro do Vaticano de que o vazamento da informação já faz parte de um contra-ataque das alas mais conservadoras da Igreja - profundamente irritadas com as atitudes do novo papa. A publicação ainda sai às vésperas de sua primeira viagem internacional, para a Jornada Mundial da Juventude , no Brasil.
Na sexta-feira, 19, o papa anunciou a criação de uma comissão formada por economistas, consultores e até um ex-ministro asiático para rever as práticas administrativas da Igreja. O pontífice quer ajuda para conter o desperdício de dinheiro no Vaticano, limpar as práticas financeiras, modernizar a administração e acabar com as suspeitas de corrupção nas licitações públicas da Santa Sé.
Ricca foi nomeado para servir como representante de Francisco no Banco do Vaticano, instituição que se deseja reformar de forma dramática, diante dos escândalos recentes de lavagem de dinheiro e corrupção. 
O porta-voz do Vaticano, Federico Lombardi, afirmou que a reportagem "não tem credibilidade" e Ricca continua tendo a confiança total do papa. Nesta sexta-feira mesmo, a revista rebateu a crítica, alertando que as fontes são seguras e o Vaticano tem até documentos sobre o caso. 
De açodo com a revista, o caso já foi avaliado pela administração da Santa Sé e se sugeriu que o monsenhor fosse removido do Uruguai - o religioso seguiu para Trinidad e Tobago e o capitão acabou demitido.
O relato 
Antes de assumir o posto no IOR, Ricca atuou como diretor das Residências do Vaticano. O diplomata viveu no Uruguai no fim dos anos 1990 até o início da década seguinte. O companheiro dele seria o capitão do Exército suíço Patrick Haari. Ricca até conseguiu que o parceiro fosse transferido para fazer a segurança da mesma embaixada onde serviria.

Mas os escândalos iriam além. Em Montevidéu, o religioso teria sido espancado em um bar gay, tendo de telefonar para religiosos locais para que o resgatassem. Ele ainda chegou a ficar preso com "um jovem" em um elevador durante toda uma noite. 
A revista poupa Francisco, alegando que esses incidentes foram retirados dos arquivos de Ricca e o papa não havia sido informado disso tudo ao nomeá-lo para o cargo há um mês. Na mesma época, o pontífice teria admitido em um encontro com bispos a existência do "lobby gay" dentro do Vaticano, lamentando essa realidade.
As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

POR UM BRASIL AO PÉ DA CRUZ


Henry Martin era um ministro anglicano que serviu ao Senhor como missionário na India e na Persia. Em uma de suas viagens ele passou pelas terras brasileiras, e isso em 1805, então com 24 anos, e ficou admirado ao ver a capital do Brasil à epoca, Salvador, com as suas inúmeras cruzes nos pináculos dos templos católicos à epoca. Em meio à essa consternação ele exclamou: "vejo tantas cruzes, mas quando o verdadeiro evangelho da cruz será ensinado?".

Esse suspiro de Martin ainda ecoa em meu coração: quanto teremos nesse país com tantas cruzes, a verdadeira cruz de Cristo erguida? Confesso que isso dá um nó em minha cabeça e me deixa vez por outra sem palavras. Tenho assistido a pulverização dos valores do evangelho nas mais diversas mídias e também nos contextos de nossas igrejas que estão cheias de pessoas vazias! Falta cruz, falta renúncia, falta pagar o preço do discipulado, parece-me que o que o Senhor Jesus disse está distante na vida de muitos dos que "pulam na presença do Senhor" em alguns dos cultos barulhentos de nosso Brasil: 

Mateus 16:24
24 - Então disse Jesus aos seus discípulos: Se alguém quiser vir após mim, renuncie-se a si mesmo, tome sobre si a sua cruz, e siga-me;

O que a doutrina da cruz faria em nosso contexto evangélico brasileiro: Fico a imaginar, como se estivesse sonhando:

* Os pastores seriam mais éticos ao entender que pastoream as ovelhas de Jesus e não as suas próprias, de modo que, considerariam como algo abominável se utilizar dos aparentes benefícios do ministério para se enriquecerem.

* As igrejas promoveriam mais "cultos do choro", do que "louvorzões", pois não sei se temos mais motivos de rir do que chorar, ao percebermos crentes que, se escondem em seus próprios pecados para denunciarem de modo vil os pecados dos outros.

* Os púlpitos seriam completamente mudados em suas propostas de mensagens temáticas, mercantilistas e utilitaristas, e no lugar viria apenas a exposição da Palavra de Deus.

* As reuniões de oração seriam as maiores reuniões da igreja, ao invés de serem as mais raquíticas, porque é fato que o nosso povo não gosta de orar, e quando o faz, em algumas vezes o interesse próprio é o grande mote das orações.

* Os avanços missionários seriam notados ao longe, pois os crentes sacrificariam parte de suas rendas, tempo, energias e tudo o mais para que o evangelho alcançasse os não alcançados e tocasse os que não vêm sendo tocados.

* As reuniões de liderança e de negócios eclesiásticos seriam pautados pelo amor às pessoas e não por julgamentos precipitados, linguas ferinas e suspeitas indevidas.

* Os louvores cantados nos cultos expressariam mais da grandeza de Deus do que das possibilidades humanas.

* O aconselhamento nos gabinetes pastores seriam menos influenciados pela vã psicologia e mais pelo entendimento das Escrituras Sagradas.

* Os jovens e adolescentes iriam pautar suas vidas em valores eternos e não em realidades tão transitórias como namoricos e jogos de entretenimento virtuais.

* As familias se amariam mais, e fariam questão de passar mais tempo juntas.

Enfim, são tantos sonhos, que chegam a ser devaneios mesmo, mas acredito que a mensagem da cruz mudaria todas as coisas, seria como um retorno à simplicidade do evangelho. Quando me vejo afastado desse ideal, lembro-me, e quase vou às lágrimas com uma canção do Paulo César Baruc, "Jardim da Inocência" que em um trecho chega a dizer: "Ah ! que vontade de andar contigo!
Pelo jardim, na viração dos dias. Pegar em tuas mãos e voar e  pela imensidão da terra e te adorar."

Tenho vontade de viver tudo isso com o Senhor, e simplesmente rever do seu amor o seu senso de permanência intima: viver para ele, ao pé da cruz de seu Filho!

É por ai.

quarta-feira, 17 de julho de 2013

Filho de Netinho de Paula abandona pagode para se tornar pastor

Filho de Netinho de Paula abandona pagode para se tornar pastorFilho de Netinho de Paula abandona pagode para se tornar pastor
Vinícius de Paula é filho do cantor Netinho de Paula e estava trilhando o caminho musical do pai ao lado de seus irmãos, Levi, Ágatha e Dudu, que juntos formavam o grupo de pagode “Os De Paula”. Mas ao ouvir o CD de Thalles Roberto, o jovem resolveu voltar para a igreja para cumprir o chamado que recebeu de Deus quando era adolescente.
“Quando eu tinha uns 12 anos, eu comecei a sonhar em ser pastor. Isso já estava em mim e na hora certa despertou”, disse o jovem que hoje tem 20 anos.
Ele frequentava uma igreja evangélica, mas se desviou quando formou o grupo em 2010. Porém nunca se esqueceu de seu chamado. “Dentro de mim essa vontade queimava”, disse ele ao R7.
Seu retorno para a igreja aconteceu em agosto do ano passado. “Eu senti o chamado de Deus. Cheguei um dia em casa de um show e recebi um CD do Thalles Roberto. Comecei a chorar porque as músicas falavam comigo. Fiquei parado pensando em toda a minha vida e caí na real do que Deus queria.”
Com a decisão tomada, Vinícius resolveu conversar com seus irmãos para comunicar sua saída do grupo. Todos eles entenderam e apoiaram. “Depois disso foi a vez de enfrentar meu maior medo: meu pai”, disse o jovem que também recebeu apoio de Netinho.
“Foi um alivio quando ele me disse para eu seguir meu coração e ouvir a Deus.”
Para poder se tornar um pastor Vinícius está frequentando um seminário e agora só canta durante os cultos. Ao ser questionado se sente falta dos palcos ele afirma que não. “Só sinto falta dos meus irmãos e do tempo que ficávamos juntos o tempo todo”, disse.

Presidente Dilma se encontra com cantoras gospel e recebe orações

Roberto Stuckert Filho / Presidência
Reunião faz parte de série de encontros com grupos sociais após protestos.

G1
Priscilla Mendes


A presidente Dilma Rousseff recebeu nesta segunda-feira (15) cantoras gospel no Palácio do Planalto e recebeu orações das artistas, que foram acompanhadas pelo ministro da Pesca e Aquicultura e pastor da Igreja Universal do Reino de Deus, Marcelo Crivella (PRB).

A cantora Damares, uma das 16 artistas convidadas para a reunião, disse que a presidente cantou a música "Sabor de Mel", de sua autoria, e que as recebeu com "o maior carinho, maior amor". "Ela gostou muito, se emocionou algumas vezes. Choramos juntas", contou Damares - assista no vídeo. Além dela também estava presente Mara Maravilha, que fez sucesso com programas infantis nos anos 80 e 90.

"A gente orou para Deus estar restaurando a saúde dela porque é um momento de muita pressão que o Brasil está vivendo. Viemos como representantes da Igreja Evangélica no país apoiando ela no que precisar", disse a cantora, que negou ter feito qualquer pedido à presidente.

"Não viemos pedir nada. A gente veio apoiar nesse momento de tantas manifestações porque é uma carga muito pesada que ela está levando. E ela é um ser humano", ressaltou Damares.

A cantora disse que a Igreja Evangélica veio "oferecer um ombro" para a presidente. Damares, porém, evitou dizer se o movimento apoiará a reeleição de Dilma em 2014.

"Somos cidadãos como qualquer outro, temos nossas reivindicações, coisas que achamos que não está bom", disse. "Ela fez promessas de melhorias, ela está realmente de mãos abertas para abençoar não só a igreja, mas o povo em si”.

O ministro Crivella, do PRB, disse que participou da reunião como ministro, mas também como “um articulador da presidenta Dilma junto ao público com o qual eu convivo desde os seis anos de idade, que é o povo evangélico”. “A presidente adorou!”.

O encontro com as cantoras evangélicas faz parte de uma rodada de reuniões com movimentos sociais que se iniciou há duas semanas como forma de resposta às manifestações que se alastraram pelo país em junho. Dilma já recebeu representantes da comunidade LGBT, indígenas, jovens, agricultores, entre outros.

O ministro Marcelo Crivella justificou o fato de o encontro com os evangélicos ter sido um dos últimos da rodada. “A presidenta Dilma tem a obrigação de governar para todos”, disse. "A questão da agenda é complicada, é difícil atender a todos e estabelecer prioridades".

Além dos ministros Crivella, Gilberto Carvalho (Secretaria-Geral da Presidência) e Gleisi Hoffmann, participaram do encontro as artistas Ana Paula Valadão, Bruna Karla, Cássia Helena de Sousa, Damares, Eyshila Oliveira Santos, Ezenete Alexandrina, Fernanda Hernandes Rasmussen, Irene Maria Hermenegildo Lopes Correa, Juliana Alonso Machado, Leonor Alonso Machado, Mara Maravilha, Maria do Carmo Araujo, Maurizete da Silva Catarina Acioli, Rubia Pinheiro Fernandes, Sonia Haddad Moraes Hernandes e Valnice Milhomens Coelho.