sexta-feira, 31 de maio de 2013

[Vídeo] No Programa do Ratinho, pastor Silas Malafaia fala sobre ativismo gay, liberdade de expressão e prisão de Marcos Pereira: “Lei é lei pra qualquer um”; Assista


Entrevista de Silas Malafaia ao Ratinho repercute na internet. Assista!

A entrevista concedida por Silas Malafaia ao Programa do Ratinho foi transmitida ontem pelo SBT, e diversos temas foram abordados. Como de costume, o pastor foi questionado sobre homossexualidade, ativismo gay, aborto, política, dízimo e outras questões teológicas, além de opinar sobre o caso do pastor Marcos Pereira.
Silas Malafaia falou ainda sobre a manifestação que está sendo organizada para expressar o posicionamento do segmento evangélico a respeito de questões sociais. De acordo com o pastor, no próximo dia 05 de junho, haverão mais de 100 mil pessoas em Brasília, e o ato só será superado pela manifestação conhecida como Diretas Já, realizada em 1984 na Praça da Sé em São Paulo pela redemocratização do país e direito ao voto direto.
Questionado sobre sua postura contra a homossexualidade, Malafaia ressaltou que discordar é um direito: “O que as pessoas tem que entender é o seguinte: ser contra um comportamento não significa discriminar pessoas”, e frisou que seu empenho é contra os ativistas gays, que defendem o conceito de que o Brasil é um país homofóbico.
Uma pergunta feita por telespectadores do programa sobre uma colocação do papa Francisco, que entende ser a homossexualidade fruto de uma ação demoníaca, foi respondida por Malafaia de forma a concordar com o líder da Igreja Católica: “Ele tá calcado na Bíblia Sagrada [...] O diabo quer destruir a família”.
Novamente, o pastor reforçou sua postura a respeito da homossexualidade, dizendo ser um “comportamento adquirido”. Malafaia frisou que não considera a prática uma doença, mas também pontuou que não há provas de que um ser humano nasça homossexual.
A respeito da resolução emitida pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) obrigando aos cartórios a registrarem o casamento entre pessoas do mesmo sexo, o pastor da Assembleia de Deus Vitória em Cristo novamente criticou a “canetada” do órgão, dizendo que essa decisão “extrapolou” as funções do Conselho. “Dogmas sociais são decididos por plebiscito ou pelo Congresso”.
prisão de Marcos Pereira, pastor da Assembleia de Deus dos Últimos Dias (ADUD), sob acusação de estupro foi tratada de forma objetiva por Silas Malafaia: “Lei é lei e é pra qualquer um. Seja pastor, ou qualquer um. Se ele cometeu isso que estão dizendo, chumbo grosso, cadeia pra ele porque não tem conversa. Isso aqui é inegociável. Pastor, ao contrário… Quanto mais você trabalha com pessoas, você representa grupos sociais, maior é a sua responsabilidade”.
Malafaia também comentou questões de cunho doutrinário, como a orientação para que solteiros não pratiquem sexo antes do casamento, e também sobre o tendência de igrejas adotarem máquinas de cartão de crédito e débito para recolherem ofertas e dízimos. De acordo com o pastor, cartões são “dinheiro plástico”, e muitos fiéis preferem contribuir dessa forma, pela praticidade.
Sobre o dízimo especificamente, o pastor foi questionado se considera correto que pessoas de baixa renda contribuam. Malafaia respondeu dizendo que os dízimos e ofertas são dados por quem se sente à vontade para doar, e disse também entender que as pessoas que não fazem parte de nenhuma igreja evangélica não deveriam opinar a respeito do tema.
A liberdade de expressão, um dos temas que serão abordados durante a manifestação em Brasília, no próximo dia 05 de junho, foi defendida pelo pastor Malafaia, que criticou as indicações do governo de tentar impor um controle sobre a mídia, que avalie seu conteúdo e defina o que pode ou não ser veiculado.
A respeito do aborto, novamente o pastor se colocou totalmente contra, dizendo que o feto não é um prolongamento do corpo feminino. Citando informações a respeito da gestação, Malafaia afirmou que a mulher é uma hospedeira, e que o bebê é quem regula as atividades biológicas, e que por isso, a mãe não pode decidir a respeito da vida ou morte dele.
Comentando o recente tumulto por causa de boatos a respeito do fim do programa Bolsa Família, Malafaia disse ser a favor do programa até certo ponto: “O que faz a riqueza de uma nação é o trabalho. Nós precisamos dar trabalho, não sustentar vagabundo em casa”, esbravejou. O pastor ainda complementou dizendo que programas sociais como o Bolsa Família não são uma invenção do governo do PT, e sim, do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB): “A verdade tem que ser dita. Discordo de muita coisa de Fernando Henrique, mas quem inventou esse programa foi ele”.
Assista a íntegra do programa:
Por Tiago Chagas, para o Gospel+

Crime de intolerância: vizinho mata família evangélica por discordar de opção religiosa

Crime de intolerância: vizinho mata família evangélica por discordar de opção religiosa
Uma família foi morta a facadas por um vizinho que não concordava com a opção religiosa deles, que eram evangélicos.
O rapaz, que segundo a Polícia Militar estava transtornado, invadiu a residência dos vizinhos e desferiu golpes contra todos os que estavam na casa: o pai, a mãe, e os dois filhos do casal, de um e três anos de idade.
Um terceiro filho do casal, de 10 anos, que estava na escola na hora do ataque, escapou sem ferimentos. A menina de três anos foi salva pela mãe, que correu após sofrerem os primeiros golpes.
Na fuga, a mãe que carregava filha avistou uma viatura da Polícia Militar e pediu ajuda. Os policiais localizaram o suspeito que se rendeu e demonstrava estar desorientado. Socorridas, mãe e filha foram levadas ao hospital, com ferimentos graves. Entretanto, mesmo passando por uma cirurgia, a mãe não resistiu.
O rapaz que realizou o ataque e o pai da família que foi atacada eram sócios numa loja de móveis, mas o motivo do surto que resultou na morte das três pessoas foi a discordância dele em relação à religião praticada pelo amigo.
Na delegacia, o rapaz afirmou que não concordava com o fato de eles serem evangélicos e que não se arrependia de tê-los matado.
Assista reportagem do R7 sobre o caso neste link.

quinta-feira, 30 de maio de 2013

JESUS, PASTOR DE PESSOAS E NÃO DE CONSUMIDORES

ovelhasPor Nelson Bomilcar
A compreensão do pastoreio de Jesus pode ser libertadora nos dias de hoje, quando tantas pessoas, equivocadamente, são transformadas em consumidores pelo mercado da fé.
Jesus amou e morreu por pessoas. Jesus ressuscitou por pessoas. Ele deu sua vida em resgate de homens e mulheres que estavam perdidos em seus próprios delitos e pecados. Compadeceu-se de homens e mulheres que estavam condenados à morte por suas transgressões. Cristo amou e se entregou em sacrifício na cruz por causa da rebeldia e da desistência humana de andar, comungar e obedecer ao Criador. O Filho de Deus doou a vida eterna a pessoas que o receberam como Senhor e Salvador. No mistério e profundidade de sua graça, ele nos olhou como pessoas e ovelhas, dando-nos vida – e vida em abundância.
Como pastor, Jesus deu e dá sua vida pelas ovelhas e por seu rebanho. Somos, como igreja, comunidade e ajuntamento de pessoas que estavam prisioneiras em seus próprios medos, incertezas e angústias. Éramos cativos de mente e coração. O desespero e a incerteza diante da morte e da fragilidade da experiência humana nos atormentavam. Assim, pessoas comuns – com suas histórias, marcas, heranças e contextos – através de seu Espírito, têm escrito uma nova história onde fé, convicção, certeza e esperança se instalaram.
Tal compreensão pode ser libertadora nos dias de hoje, quando tantas pessoas, equivocadamente, são transformadas em consumidores pelo mercado da fé. De forma sutil e sorrateira por um lado, e agressiva por outro, essa dinâmica tomou conta da mentalidade evangélica no Brasil e no mundo. Devotos se transformaram apenas em consumidores e mantenedores desse mercado, travestido até na forma de igrejas locais coorporativas e estruturas empresariais. A lógica e o discurso são os mesmos do mercado: cantamos sobre a marca Jesus, escrevemos sobre ela, lançamos produtos temáticos. Já há até estudos de marketing acerca de características de gênero, classe social, faixa etária e necessidades de determinados grupos sendo usados para a criação de igrejas.
Grandes conglomerados comerciais de literatura e música chamadas de cristãs estão sendo engolidos com voracidade por empreendedores que, até bem pouco tempo, nem se importavam com a existência do tal segmento evangélico. Só que o Jesus de muitos pregadores, cantores, corporações e empresários não é necessariamente aquele apresentado na Bíblia, o Jesus eterno e histórico, o Emanuel, o Deus que se fez homem; aquele que veio como escravo e servo para proporcionar ao caído a salvação por meio da cruz, para anunciar o Reino de Deus e trazer graça, senhorio e juízo. Esse Jesus midiatizado não é o Jesus que trouxe ensino e valores de amor, compaixão, paz e justiça, e que nos deixou a missão de lhe fazer discípulos e seguidores.
O pastor Jesus, pastor de ovelhas, de gente, trata a cada um com pessoalidade, dignidade e importância. Ele nos ama como pessoas, ouve nossos relatos, está atento à nossa realidade e história. O pastor Jesus alimenta o faminto, sacia o sedento, limpa o imundo, cura os feridos, protege e conduz ovelhas. Jesus nos ajuda a dar significado ao pastoreio e a contextualizar esta vocação do acolhimento, do cuidado, do ensino e da formação espiritual. Os pastores não precisam perder o caminho da fé, assim como qualquer cristão em outra área profissional ou de atuação – uma fé que ganha contornos práticos de uma vida de serviço e de trabalho digno, mediante o suor do rosto. Fé no Deus trino, e não no mercado que fala sobre ele.
Muitos dirão que comércio pode ser feito com ética e honestidade, visando a legítimos propósitos. É verdade. Mas a chance de o mercado tirar do centro a essência e o alvo do Evangelho, de sua mensagem e obra, são muito grandes.
Pastores, escritores e artistas cristãos produzem em escala industrial coisas que se tornarão, invariavelmente, produtos de consumo: mensagens, livros, CDs, ensinos, palestras, DVDs… Tudo tem seu preço, e tudo acaba alimentando esse mercado da fé. Numa linha muito tênue, o negócio se torna a pessoa, o pregador, o cantor, o escritor, sua corporação, sua visão, sua estrutura criada. Assim, o que fazem torna-se um fim em si mesmo, e não um meio para atingir algo mais elevado.
No genuíno pastoreio, contudo, precisamos ser cuidadosos e íntegros. Não se pode perder de vista que cuidamos de pessoas, e não de consumidores. O mercado não é o nosso negócio, muito menos o propósito do chamado e vocação pastoral. Somos cuidadores e referenciais de Jesus para o rebanho de Deus, ajudando ovelhas a permanecerem no Caminho.
***
Nelson Bomilcar é músico, pastor, missionário, compositor, produtor, conferencista e escritor. Há 36 anos exerce seu ministério no Brasil e tem suas canções, parcerias, produções e arranjos presentes em inúmeros trabalhos da música cristã nacional.

“Até o papa tem pecados”, diz Francisco ao afirmar que a Igreja Católica é obra de Deus

“Até o papa tem pecados”, diz Francisco ao afirmar que a Igreja Católica é obra de Deus
O papa Francisco afirmou nesta quarta-feira, 29 de maio, na Praça de São Pedro, que a Igreja Católica é uma instituição divina e que até ele possui pecados.
Perante 100 mil pessoas que compareceram ao local sob chuva, Francisco afirmou que o “projeto de Deus” é que as pessoas formem uma família: “Neste projeto, encontra suas raízes a Igreja, que não é uma organização nascida do acordo de algumas pessoas, mas, como nos recordou tantas vezes o Papa Bento XVI, é obra de Deus”, disse.
A ideia de família, segundo Francisco, é encontrada no desejo de Deus que as pessoas vivam em comunhão, e se encontra representada no convite a “sair do individualismo, da tendência a se fechar em si próprios”.
O papa lembrou que muitos vivem sob o lema “Cristo sim, Igreja não” ou “creio em Deus, mas não nos sacerdotes”, e ressaltou que essa postura é consequência de falhas humanas cometidas ao longo da história: “Com certeza, os que a compõem – padres e fiéis – têm defeitos, imperfeições e pecados. Também o Papa tem muitos pecados, mas quando nos damos conta desse pecado, encontramos a misericórdia de Deus. Deus sempre perdoa. Não nos esqueçamos disso”, observou.
Segundo o papa Francisco, reconhecer o pecado e aceitar a “humilhação” recorrente “permite ver algo mais belo”, que seria o amor de Deus para com o ser humano: “Quando o pecado rompe essa relação, Deus não nos abandona. Toda a história da salvação é a história de Deus que busca o homem, lhe oferece seu amor e o acolhe”, disse.

quarta-feira, 29 de maio de 2013

Bebê é achado vivo dentro de cano de esgoto. Veja o vídeo.

Um bebê recém-nascido foi resgatado de dentro de um encanamento de esgoto de um banheiro, no último sábado, na cidade de Jinhua, na província chinesa de Zheijang.
Como retirar o recém-nascido da tubulação no local poderia ser perigoso, o bebê foi levado ainda dentro do encanamento para o hospital para ser libertado.
No hospital, o cano de dez centímetros de diâmetro foi cuidadosamente desmantelado por médicos e por bombeiros para que o bebê pudesse ser retirado.
A criança tinha cortes na face e nas extremidades do corpo. Ainda estava unida à placenta, segundo a polícia, e sua saúde era estável.

Fonte:Agências e Folha de S.Paulo

[Brasil Urgente] Datena teria responsabilizado pastor Marco Feliciano por morte de rapaz em boate gay e causa revolta de cristãos nas redes sociais

[Brasil Urgente] Datena teria responsabilizado pastor Marco Feliciano por morte de rapaz em boate gay e causa revolta de cristãos nas redes sociais
A morte de um rapaz que teria sido espancado na boate Queen, voltada ao público gay no Rio de Janeiro, virou notícia nacional após o apresentador do programa Brasil Urgenteda Band, jornalista José Luiz Datena, comentar o caso responsabilizando o pastor Marco Feliciano (PSC-SP).
O apresentador teria dito que a morte do rapaz, um cabeleireiro identificado como Luiz Antônio, 49 anos, teria ocorrido por homofobia, e que a incitação de crimes como esse seria consequência de posturas como as defendidas pelo pastor e deputado federal Feliciano.
A repercussão da fala de José Luiz Datena foi imediata, e no Twitter, diversos internautas comentaram o discurso do jornalista: “Datena diz agora no ar: ‘o que o Pr Marcos Feliciano defende é uma canalhice!’”, escreveu o usuário Pr. Gracindo.
Por outro lado, houve quem concordasse com as supostas falas do apresentador Datena: “Os evangélicos deveriam se sentir ofendidos por serem vistos como fomentadores de ódio, discórdia e violência. Não pelo Datena, que ganhou uns pontinhos hoje. Mas ainda falta muito pra ele ir para o céu”, ironizou o usuário Omar Giovani.
O internauta Alex Albuquerque reproduziu o que seria um trecho da fala do apresentador: “’O Feliciano como Presidente da CDH é uma piada’. (Datena)”.
A psicóloga Marisa Lobo, uma das ativistas evangélicas com maior número de seguidores no Twitter, protestou contra a postura de José Luiz Datena: “Até dentro de boates gays, Brasil Urgente, seremos responsabilizados pelas brigas? Acha que somos ‘imbecis’ mesmo? [Isso é] Desonestidade intelectual. Estamos cansados, Brasil Urgente, dessa Ditadura ideológica que usa a dor da morte para tentar nos vincular a crimes. Cristofobia é o nome disso. Se, de acordo com sua exposição, Brasil Urgente, falas do Feliciano geraram preconceito, a sua de hoje gerou ódio contra o povo cristão”, escreveu, mencionando o perfil oficial do programa no microblog.
As colocações de Marisa Lobo foram acompanhadas por outros internautas, que criticaram supostas considerações do apresentador a respeito do que a Bíblia fala sobre a prática homossexual: “Dizer que a Bíblia não fala de homossexualidade como sendo algo desaprovado por Deus, é falar sem conhecer a Palavra. Fala sério, Datena!”, escreveu Laryssa Lobato.
O pastor Marco Feliciano se pronunciou sobre a repercussão através de seu Twitter, afirmando acreditar que a confusão seria um mal entendido.
twitter marco Feliciano
“Quando perseguiram o Datena por falar em Deus eu usei a Tribuna do Parlamento para defendê-lo, não que tenha me pedido, fiz por justiça. Informaram que o Datena usou o assassinato de um homossexual em uma boate gay para dizer que é culpa minha. Se for verdade é lamentável. Caso o Datenal tenha feito tal comentário, o que sinceramente não creio, tenho certeza que quando colocar a cabeça no travesseiro meditará. E acredito que o Datena terá a grandeza de desfazer esse mal entendido, afinal é um dos maiores formadores de opinião desse país. E eu, amigo Datena, bem como os evangélicos desse país admiramos e respeitamos você por ser quem é! Um abraço e Deus te abençoe! E fica aqui o meu pesar e sentimentos por esta vida que foi arrancada de maneira tão estúpida e violenta. Que Deus conforte a família. Que o culpado por este assassinato seja encontrado e punido pela justiça. Cabe à boate Queen mostrar os vídeos. E à policia investigar”,tuitou o pastor.
Na página de vídeos do programa Brasil Urgente, a Band cortou o comentário feito à respeito do caso, e qualquer menção ao pastor Marco Feliciano que tenha sido feita pelo apresentador não está disponível.

terça-feira, 28 de maio de 2013

Estão brincando com coisa séria…

Por Jáder Borges
Chegamos na cidade de Minneapolis no mês de outubro e o final do outono anunciava que um rigoroso inverno viria pela frente, com possibilidades de tempestades de neve. À medida que o mês ia passando, casas e lojas iam intensificando as decorações do “Halloween”, o tradicional “dia das bruxas”, quando pregar peças nos outros em forma de sustos e festinhas embaladas com vampiros dançando com múmias, fica liberado. Crianças percorrem casas perguntando algo como “travessuras ou doces?”, e assim, todos esperam a noite cair, para que monstros e abóboras desfiguradas comandem a festa, ao som de muito agito, “Halloween”. O que esta palavra significa? A Funk and Wagnalls New Encyclopedia informa que este termo é aplicado à noite que precede o “dia de todos os santos”, uma espécie de abreviação-referência de “Allhallows Evening” (uma tradução mais literal de “Allhallows Evening” seria: “Noite de todos os consagrados”…).
Estão brincando com coisa séria…
A onda do Halloween vem crescendo no Brasil, levantada por centenas de cursos de inglês, escolas com fortes influências americanas, seriados de TV e por muitos jovens que tiveram contato com a América, seja através de estudo ou intercâmbio, e que têm fascínio pela cultura norte-americana. Na comemoração do Halloween, o que se escuta como justificativa é que este é um dos meios mais divertidos de se passar um pouquinho mais a cultura daquele país para os interessados e que tudo não passa de uma divertida e diferente aula de inglês, ou de sociologia, simplesmente carregada na maquiagem e nas sombras. Seria “brincadeira” mesmo? De onde vem o Halloween?
A “brincadeira” do Halloween não tem nada de brincadeira na sua origem. Quando se busca no tempo e na história, nesta época do calendário, os druidas (espécie de feiticeiros, antigos sacerdotes entre os gauleses e bretões), costumavam erguer fogueiras para invocação de Saman, o senhor da morte! Pelo menos outros quatro espíritos também eram invocados, com a finalidade de se consultar sobre o futuro ou sobre coisas ocultas. O povo celta também acreditava que nesta data os espíritos dos mortos voltavam à terra para visitar os lares durante a noite. Os romanos, após conquistarem a Grã-Bretanha, adotaram para si as crenças do Halloween, num de seus festivais rituais, em honra à deusa Pomona, senhora das frutas e das árvores.
Como podemos ver, a fonte dessa “brincadeira” traz consigo rituais e invocações a espíritos, tanto de demônios, como de mortos, coisas estas que a Palavra de Deus, a Bíblia, enfaticamente recomenda para não serem feitas, sob grande risco de tremendos distúrbios emocionais e espirituais. A Bíblia diz para não brincarmos e nem mexermos com o oculto, exatamente porque não existe nada de divertido nas densas trevas espirituais, de onde o Halloween se origina (veja Dt.18.9-14; 20.17,18; Is. 8.19; etc). Todos nós sabemos que quem brinca ao volante de um carro, pode se machucar seriamente; que quem brinca com fogo, pode se queimar… e, que quem brinca com uma arma, pode tombar, vítima de um disparo avassalador. Portanto, não brinque com práticas e representações que se aproximam daquilo que Deus avisou para não ser copiado, ou ridicularizado. As penas poderão ser muito duras.
Ora, irmão, deixe de exagero…
Vampiros, múmias, duendes travessos, fantasmas, feiticeiras e diabinhos; muitos diabinhos…. tudo infernalmente e “divertidamente” fantasiado… Que mal há nisto? Estes e muitos outros ícones do mal estão deixando de assustar as pessoas hoje em dia, e nem o velho diabo assusta mais. Evolução dos tempos? Não. Involução espiritual. O povo se distanciou da Palavra de Deus e penetrou por muitos caminhos, grande parte deles escuros e perigosos. Hoje, brinca-se com o diabo, porque não se acredita mais nele. Jesus Cristo sempre acreditou no diabo e teve com ele e suas hostes, grandes batalhas. O Filho de Deus sempre considerou sua astúcia e terrível maldade, sendo a única Autoridade a quem o diabo teme. Por que brincaria eu com o diabo, se nas páginas da Bíblia ele não tem nada de divertido? Ridicularizaria eu uma cascavel prestes a dar o bote?! Cutucaria uma onça com vara curta, estando a jaula aberta? Rapaz e moça… não brinquem com o diabo, pois ele não brinca com vocês. O que ele quer é devorar vidas! (1a Pe.5.8). Não se aproxime de qualquer ícone do mal nem se fantasie dele, sob o risco de sofrer terríveis perturbações espirituais, de origens demoníacas. Nem Jesus desacreditou da existência do diabo, e nem os anjos o fazem, por que faríamos nós? “Contudo, o arcanjo Miguel, quando contendia com o diabo… não se atreveu a proferir juízo infamatório contra ele; pelo contrário, disse: O Senhor te repreenda!” (Jd. v9). Quem nos informa isto é a Bíblia, a Palavra de Deus. E a Palavra de Deus não mente.
Depressões profundas, ideias suicidas, afundamento nos vícios, bárbaros assassinatos cometidos por jovens, escutar sons de gargalhadas horripilantes e vozes do além pela casa, tudo isso vem acontecendo com milhares de jovens em todo o mundo, que um dia ousaram “brincar” com o diabo ou com ícones a ele associados, e caíram, vítimas de seus laços mortais. Perderia Saman, tido como o senhor da morte, a primeira oportunidade de matar? Acredito que não. (“Saman” é um dos nomes com os quais Satanás se disfarça).
Finalizando, o meu conselho e incentivo é para que você não embarque nesta onda de “Halloween”, só porque a sua escola, ou a sua turma está fazendo tal festa. Professores, lembrem-se que também compete a vocês zelaram pelo bem-estar dos alunos. Não os empurre para iniciações com o mundo das trevas, nem por brincadeira! Desistam de qualquer “brincadeira” do Halloween enquanto ainda é tempo, pois ninguém precisa de Halloween para se divertir, exatamente por não haver diversão em maldições. O que todos nós precisamos é de seguir Jesus Cristo, para sermos verdadeiramente felizes.
Portanto, não vá com os outros, nem que os outros formem multidão. A história está repleta de casos em que a multidão estava completamente desnorteada, pagando um alto preço por causa disso. No caso específico do Halloween, muitos adolescentes e jovens entraram nessa “brincadeira” sem saber das profundas armadilhas espirituais escondidas por trás da “diversão” e hoje sofrem grandes tristezas. Jovens, não deem ouvidos à voz do povo, pois isso nem é bíblico, e trata-se de uma tremenda armação. A voz do povo nunca será a voz de Deus, ainda mais quando empurra pessoas para práticas que Deus condena! A Bíblia é que é a Voz de Deus! Escute o que ela diz: “Não seguirás a multidão para fazeres o mal”… (Êx.23.2a). “Então, perguntou Jesus aos doze: Porventura, quereis também vós outros retirar-vos? Respondeu-Lhe Simão Pedro: Senhor, para quem iremos? Tu tens as palavras de vida eterna” (Jo 6:68).
***
Jáder Borges Filho é pastor da Igreja Presbiteriana do Jardim Satélite, em São José dos Campos (SP), e foi secretário geral do Trabalho com a Infância da IPB (2006-2010). Estudou no Seminário do Recife e na Theologisches Seminar Ewersbach, na Alemanha. Promove o Congresso Infantil Primeiros Passos, voltado para quem trabalha com crianças, EBD e departamentos infantis.
Fonte: Editora Fiel, via Bereianos.

Justiça nega liberdade provisória ao pastor Marcos Pereira



Rio - O juiz da 1ª Vara Criminal de São João de Meriti negou, nesta segunda-feira dia 27 de Maio, o pedido de liberdade provisória formulado pela defesa do pastor evangélico Marcos Pereira da Silva, da Assembleia de Deus dos Últimos Dias. Ele está preso desde o dia 7 deste mês, acusado por dois crimes de estupro e coação.

O magistrado concluiu que os motivos que levaram à decretação da prisão preventiva continuam inalterados. A decisão rechaçou os argumentos da defesa de que faltaria legitimidade ao Ministério Público estadual para propor a ação penal. Também concluiu não haver qualquer irregularidade nos atos praticados durante a investigação policial.

De acordo com a decisão, o inquérito policial, "como procedimento administrativo que é, não tem forma rígida e, portanto, sua presidência e seu rumo ficam a critério da autoridade policial, sob o olhar do Ministério Público".


As denúncias do MP contra o pastor foram distribuídas para a 1ª e a 2ª Varas Criminais de São João de Meriti. O pastor teve a prisão preventiva decretada pelos dois juízos: no dia 2 de maio, pela 2ª Vara Criminal, e, no dia 8 de maio, pela 1ª Vara Criminal.

No último dia 9, a 3ª e a 8ª Câmaras Criminais do Tribunal de Justiça do Rio negaram dois pedidos de liminar nos habeas corpus em favor do pastor Marcos Pereira. Os colegiados das duas câmaras ainda devem julgar o pedido.

Fonte: O dia



Pastor Silas Malafaia gravou entrevista ao Programa do Ratinho falando sobre casamento gay, liberdade de expressão e Marcos Pereira



O pastor Silas Malafaia anunciou que na última segunda-feira, 27 de maio, gravou participação no Programa do Ratinho, no SBT.
A entrevista será veiculada no próximo dia 30 de maio, quinta-feira, às 21h20, segundo informações divulgadas pelo próprio Malafaia em seu Twitter.
Segundo o pastor da Assembleia de Deus Vitória em Cristo (ADVEC), ele e o apresentador Carlos Massa (popularmente conhecido como Ratinho), conversaram sobre diversos temas polêmicos da sociedade e que envolvem os evangélicos.
“Acabo de chegar da gravação no Programa do Ratinho. A entrevista ocupou todo o programa, foi quentíssima. Muitos assuntos abordados, divulgue. A entrevista no Ratinho será exibida nessa quinta às 21:20 hs no SBT. Deus será glorificado, divulgue! Os inimigos do povo de Deus vão ranger. Quanto mais xingam, caluniam e difamam, Deus abre mais portas. Um programa inteiro com o Ratinho nessa quinta”, escreveu Malafaia em sua página no Twitter.


Na entrevista, Silas Malafaia comentou a prisão e acusações contra o pastor Marcos Pereira, e falou sobre a resolução do Conselho Nacional de Justiça a respeito do casamento gay, liberdade de expressão, liberdade religiosa e também sobre a manifestação organizada por ele em Brasília, que será realizada no dia 05 de junho, uma quarta-feira.

segunda-feira, 27 de maio de 2013

Jornal relata atritos e rivalidades entre deputados da bancada evangélica e diz que grupo é “restrito e disperso”

Jornal relata atritos e rivalidades entre deputados da bancada evangélica e diz que grupo é “restrito e disperso”
A bancada evangélica na Câmara dos Deputados continua chamando a atenção da imprensa nacional por sua atuação.
A recente discussão da MP dos Portos colocou novamente os deputados evangélicos no centro de uma discussão: como há no grupo deputados filiados a partidos de situação e oposição, cada um dos integrantes votou conforme os interesses partidários.
O jornalista Fabiano Maisonnave, da Folha de São Paulo, publicou uma matéria no site do jornal classificando a bancada evangélica como “restrita e dispersa”.
Na reportagem, Maisonnave cita problemas internos da bancada, como os atritos entre Anthony Garotinho (PR-RJ) e Benedita da Silva (PMDB-RJ). A deputada, que já foi vice-governadora do Rio de Janeiro no mandato de Garotinho, em 1998, anos atrás processou o ex-governador. Entretanto, ambos são membros da bancada evangélica.
Benedita e Garotinho também protagonizam outras rivalidades no grupo. A deputada é ligada a grupos sociais de defesa dos direitos aos negros, que há pouco tempo protagonizaram inúmeros protestos contra o pastor Marco Feliciano (PSC-SP). Já Garotinho é rival político declarado do deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que também integra a bancada.
Entre os deputados que formam a bancada, apenas os que são membros da Igreja Universal do Reino de Deus são filiados a um mesmo partido, o PR.
O deputado federal Roberto de Lucena (PV-SP), minimiza as observações de Maisonnave dizendo que a atuação da bancada evangélica é coesa nos assuntos que requerem sua atenção: “A Frente Parlamentar Evangélica defende a vida e a família”, afirmou.
De acordo com Lucena, houve apenas duas votações em plenário que os deputados da bancada evangélica votaram juntos: o endurecimento da lei seca e a proibição da venda de bebidas alcoolicas nos estádios durante a Copa do Mundo em 2014.
Por Tiago Chagas

Vaticano contradiz papa Francisco e afirma que quem não for católico, não será salvo

Vaticano contradiz papa Francisco e afirma que quem não for católico, não será salvo
Na contramão das afirmações do papa Francisco, o Vaticano publicou uma “nota explicativa” afirmando que apenas os católicos serão salvos.
Na última semana, Francisco havia dito que “o Senhor redimiu a nós todos pelo sangue de Cristo”, e que não apenas os católicos, mas todos os que praticam o “bem”seriam salvos, incluindo ateus.
As declarações do papa não foram bem aceitas pela cúpula da Igreja Católica, que logo após a repercussão das declarações, emitiu um comunicado sobre o significado de “salvação”.
O padre Thomas Rosica, um dos porta-vozes do Vaticano, afirmou que aqueles que alguma vez tomaram conhecimento sobre o catolicismo “não podem ser salvos” caso “se recusem a entrar ou permanecer na Igreja Católica”.
Rosica afirmou ainda que o papa Francisco “não tinha intenção de provocar um debate teológico sobre a natureza da salvação” com suas declarações a respeito da redenção oferecida pelo sacrifício de Jesus.

Missionários cristãos da África são destruidores da vida afirma documentário

O jornal The New York Times produziu um documentário sobre os missionários evangélicos, dando destaque ao trabalho da Casa Internacional da Oração (International Houses of Prayer). O periódico classifica o grupo como intolerante por atuar na África não só com trabalhos sociais, mas influenciando no estilo de vida da população.


A denúncia veio do padre zambiano Kapya Kaoma que precisou fugir de seu país por ser favorável à união entre pessoas do mesmo sexo. Ele afirma que os missionários evangélicos pretendem “dizimar o que chamam de imoralidade sexual”. “Este movimento acredita ser enviado por Deus para governar o mundo, todas as esferas da sociedade, não apenas o segmento religioso, mas também o político, o econômico, a educação e o entretenimento”, afirma o padre.

A edição do documentário fez questão de ouvir pastores da teologia da prosperidade que falam que em países como a Uganda é fácil recolher ofertas. 

Ao falar sobre Uganda, o vídeo mostra o projeto de lei de autoria do deputado Davi Bahati que prevê punições severas para quem for pego praticando atos homossexuais. O projeto é tão severo que o homossexual pode ser condenado à morte. Na visão apresentada no vídeo este projeto rigoroso teria apoio dos missionários evangélicos.

Ao se defender, o site da Casa Internacional de Oração cita que seu objetivo como igreja é “equipar e enviar crentes que amam a Jesus e outros, de todo coração, para pregar a Palavra, curar os doentes, servir os pobres, iniciar novas casas de oração e anunciar o retorno de Jesus”.

A banda da "macumba": Grupo de metal faz sucesso com despachos nos shows

A maior queixa do grupo Gangrena Gasosa é ver que os brasileiros estão mais religiosos e “caretas”. Igrejas já fizerem inclusive campanhas contra suas apresentações em certos lugares. Também, o apelo às "forças ocultas" é agressiva, em alguns shows o grupo realiza despachos no palco e jogam cachaça e farofa sobre os fãs. 
Zé Pelintra e Omulú no vocal, Exú Caveira na guitarra, Exú Lúcifer no baixo, Ogum na bateria e Pomba Gira na percussão. Esta é a formação da mais polêmica banda de metal onde cada integrante é apelidado com nome e a características de entidades de religiões afro-brasileiras. O grupo, do Rio de Janeiro, inventou o estilo musical “saravá metal”. 

Eles já lançaram vários CDs e estão prestes a divulgar nos cinemas um DVD duplo, que mescla um documentário com um show recente num bar de São Paulo chamado “Clube Inferno”. O filme/DVD chama-se “Desagradável” e foi realizado pela ‘BlackVomit Filmes’.

As letras do grupo fazem invocações e brincam com vários elementos culturais. O primeiro CD, de 1993, foi “Welcome to Terreiro”, que trazia músicas como “Exu Noise Terror”. Em 2000, gravou o CD “Smells Like a Tenda Espírita”, uma brincadeira com a música “Smells like teen spirit”, do Nirvana. Nesse disco está a canção “Centro do Pica-Pau Amarelo”, em que a letra faz com que os personagens de Monteiro Lobato virem uma entidade de Umbanda. O disco mais recente do grupo, de 2012, chama-se “Se Deus é Dez Satanás é 666”.

Mas nem todo mundo acha a brincadeira engraçada, “Já deixamos de tocar em festivais cheios de bandas de black metal por conta dos organizadores dizerem que ‘mexemos com forças muito negativas”, conta o vocalista.

Ao fazer um balanço dos 22 anos de carreira, ele conta: “Já teve ex-integrante que quase morreu atropelado depois de ser puxado por uma Pomba Gira para a linha do trem, centro de macumba próximo ao Garage que teve que parar as atividades na hora do show da banda por conta de só descerem espíritos malignos na hora da saída de santo, possessões, perseguições da Igreja Universal aos shows do grupo, motorista de van dormindo ao volante, quase fomos expulsos do programa Jô Soares enfim, esse monte de bandalheira será detalhado no DVD que, de tanta história, deve ser duplo”.

Mesmo assim, em breve o Gangrena irá fazer a sua 2ª turnê europeia. Eles comemoram o apoio dos fãs que financiaram as gravações do DVD em esquema crowdfunding, em que cada um doa uma quantia de dinheiro voluntariamente.
Fonte: Terra

sábado, 25 de maio de 2013

Fernandinho e Nívea entre os compositores mais conhecidos do mundo

Fernandinho e Nívea entre os compositores mais conhecidos do mundo
O site We Are Worship divulgou uma lista com 2000 obras de compositores evangélicos, os mais conhecidos do mundo, e nesta lista estavam apenas dois brasileiros: Fernandinho e Nívea Soares.
Os cantores do gospel nacional aparecem ao lado de grandes nomes da música internacional como Chris Tomlin, Planetshakers, Israel Houghton, Martin Smith, Matt Redman, Paul Baloche, Bluetree e Charlie Hall.
A Editora Adorando, que trabalha para promover este intercâmbio entre os compositores brasileiros e estrangeiros, comemorou ao ver o nome desses dois grandes compositores na lista do site.
As canções de Fernandinho e Nívea Soares são sempre grandes sucessos nas rádios evangélicas do país. Voltados para o estilo congregacional, esses cantores usam de adoração e alcançam ouvintes de diversas denominações evangélicas.
O site We Are Worship é voltado para o público cristão e traz informações sobre composições que fazem diferença no meio cristão, dando a oportunidade para que os internautas ouçam os mais conhecidos líderes de louvor e adoração do mundo por meio de clipes, ministrações e muitos outros materiais.

sexta-feira, 24 de maio de 2013

Evangélicos conquistam assinaturas para o novo partido de Marina Silva




Para poder disputar as eleições em 2014, o partido Rede de Sustentabilidade, formado por Marina Silva, está tentando colher a quantidade de assinaturas suficientes para poder conseguir o registro junto a Justiça Eleitoral.
Com o objetivo de alcançar a meta antes do dia 5 de outubro, o Rede tem contado com o apoio de líderes evangélicos. Em São Paulo duas mulheres pararam na porta da Assembleia de Deus Ministério Belém para coletar assinaturas dos membros da igreja.
Vestida com a camiseta do novo partido, as voluntárias abordavam os membros que participariam da reunião de pastores e obreiros dizendo: “É para apoiar Marina”.
A ex-senadora é evangélica e seu nome é muito respeitado entre os membros da Assembleia, pois além de frequentar a denominação, Marina Silva também atua como evangelista.
O pastor Lélis Washington Marinhos distribui 11 folhas para coletar assinaturas, em cada uma delas cabe 33 nomes. Ao falar sobre o apoio ao Rede, o religioso explicou que se trata de “um exercício de cidadania”.
“Temos formadores de opinião e é justo que eles opinem. Todos têm liberdade”, disse o pastor Lélis.
Quem tem feito este contato entre o Rede e os evangélicos é o presbítero Geraldo Malta, um dos fundadores do PSDB que tem sido articulador do novo partido. Ele acredita que deva conseguir de 80 mil a 100 mil assinaturas, o que representaria um quinto da quantidade de votos (492 mil) que o partido precisa recolher para poder conseguir o registro.

quarta-feira, 22 de maio de 2013

Pastor celebra casamento gay de seu filho e se defende: “Quando a lei está errada, você a infringe

Pastor celebra casamento gay de seu filho e se defende: “Quando a lei está errada, você a infringe”
Um pastor que quebrou a regra estipulada pela convenção da Igreja Metodista Unida (IMU) e realizou uma cerimônia de casamento gay enfrentará um processo eclesiástico por sua atitude.
O reverendo Thomas W. Ogletree, de 79 anos, realizou a cerimônia de casamento de seu filho, Thomas Jr. com Nicholas W. Haddad em outubro de 2012, e afirmou que sua atitude foi uma forma de expressar o que pensa a respeito das regras da IMU.
“Às vezes, quando a lei oficial está errada você tenta mudá-la. Mas se você não consegue mudá-la, você a infringe. Eu não pensei nisso como um ato de desobediência civil ou desobediência à igreja. Eu pensei nisso como uma resposta ao meu filho”, afirmou o pastor em entrevista ao The New York Times.
Ogletree é pastor e professor na Universidade de Yale, e durante um encontro promovido pela instituição, ouviu críticas do reverendo Randall C. Paige: “Essa cerimônia foi uma ofensa”, afirmou. Paige e Ogletree são apontados pela imprensa como desafetos, e de acordo com as informações do NYT, o reverendo Paige exigiu que Ogletree se desculpasse e se comprometesse a não voltar a celebrar uma cerimônia de casamento entre duas pessoas do mesmo sexo.
Entretanto, Ogletree rebateu Paige dizendo que Jesus infringiu uma lei ao expulsar os vendilhões do Templo, e questionou: “Então você quer dizer que nunca se deve infringir nenhuma lei, não importa o quanto seja injusta?”.
A IMU é a terceira maior denominação protestante dos Estados Unidos e possui 45 mil pastores, sendo que 1.100 fazem parte de um grupo chamado New Directions, que entre outras coisas, defende o casamento gay. Desde 1972 a IMU conta em seu livro de regras com uma proibição ao casamento homossexual, por considerá-lo “incompatível com a doutrina cristã”. Porém, a denominação classifica homossexuais como “pessoas de valor sagrado”, e por isso os aceita em sua membresia.
Por Tiago Chagas

Verdade das novelas da globo.Assista.

terça-feira, 21 de maio de 2013

SBT estaria planejando nova entrevista com pastor Silas Malafaia e Gabi

SBT estaria planejando nova entrevista com pastor Silas Malafaia e Gabi afirma: “entendi porque ele faz tanto sucesso como pastor”
A polêmica entrevista do pastor Silas Malafaia à jornalista Marília Gabriela continua repercutindo de maneira intensa em todas as mídias.
Muito criticada por líderes evangélicos por sua postura debatedora em relação ao tema da homossexualidade, a jornalista justificou sua postura incomum: “Quis dar um equilíbrio à entrevista”, declarou ao Uol.
Durante a entrevista, Gabi manifestou sua opinião contrária à de Silas Malafaia em relação ao assunto, e chegou a acusar o pastor da Assembleia de Deus Vitória em Cristo de fazer prejulgamento por acreditar que um casal gay não possa criar uma criança de maneira adequada: “Você é Deus, Silas. Você já está julgando e prejulgando”, disse na ocasião.
Para Marília Gabriela, o grande reconhecimento de Silas Malafaia no meio evangélico se dá por seu estilo: “Nunca tinha visto o Malafaia falando. Só havia lido. E entendi porque ele faz tanto sucesso como pastor. É muito enfático. Por isso, me senti na obrigação de dar o meu ponto de vista, uma coisa que não costumo fazer”, justificou-se.
A postura incomum de Marília Gabriela também foi notada ao final da entrevista, quando a jornalista se despediu de Malafaia: “Que o meu Deus, que eu não sei se é igual ao seu, te perdoe”.
Apesar dos bons índices de audiência do programa, Gabi afirmou que por enquanto, não faz planos de convidar novamente o pastor Silas Malafaia para uma entrevista: “Não tão cedo”, disse.
O pastor por sua vez disse à jornalista Mônica Bergamo, da Folha, que a apresentadora “é educada, uma pessoa bem bacana”.
Entretanto, devido à média de audiência recorde em São Paulo, 6,3 pontos, e os altos índices registrados no Rio de Janeiro, com média de 12 pontos, contra 13 da Globo e 2,6 da Record, o SBT estaria planejando um novo convite ao pastor Silas Malafaia, para ser novamente entrevistado por Gabi.
Segundo o jornalista Lauro Jardim, da revista Veja, o programa seria gravado no segundo semestre, com foco no tema do aborto, um assunto que Silas Malafaia se posiciona contra abertamente.

Eliseu Amaldiçoou os Rapazes só porque lhe chamaram de careca?


Com uma maldição proferida por Eliseu, 42 rapazinhos foram mortos por duas ursas que saíram do bosque, por causa da maldição. Eles estavam zom-bando de Eliseu, com uma frase chistosa: “Sobe, calvo, sobe, calvo!” (II Reis 2:23). Muitos dizem que Eliseu ficou irritado por ser chamado de “calvo”.

Analisando bem o fato, olhando-o com olhos perscrutadores, poderemos descobrir o verdadeiro motivo pelo qual oprofeta de Deus entendeu, pelo espírito, que havia algo mais sério, de natureza espiritual, naquela zombaria.
Havia pouco, Elias tinha subido ao céu num redemoinho. Eliseu era o sucessor de Elias, a voz de autoridade sobre a terra naquele momento. Enquanto Deus teve um plano especial e glorioso com Elias, de arrebatá-lo sem experimentar a morte humana, física, com Eliseu seu plano foi diferente, pois o profeta morreu de morte natural.
Na zombaria dos rapazinhos, dizendo:
“Sobe, calvo, sobe, calvo!”, estava implícita a sugestão de que Eliseu também deveria subir ao céu. Em outras palavras, aqueles rapazes estavam dizendo:
“Vamos ver, Eliseu, prova que tens o mesmo poder, consagração e autoridade de Elias. Sobe também do modo como ele subiu!”.
Isto, se continuasse, tiraria, diante do povo, a autoridade profética de Eliseu, pois muitos interpretariam da mesma maneira a unção de Eliseu. Sua maldição teve uma razão de ser muito mais profunda do que apenas “vingar-se” de rapazinhos irresponsáveis que o estavam chamando de “careca”.
Extraído do Livro: O Que a Biblia não Diz

Foi a Vara de Moisés Que Virou Serpente Diante de Faraó?


vara serpente
É muito comum acreditar-se, e até muitos pregam, que Moisés lançou a vara DELE diante de Faraó e ela se transformou em serpente. Isto, porém, jamais aconteceu! A vara que se transformou em serpente foi a de Arão e não a de Moisés. Foi Arão quem lançou a vara diante de Faraó, por ordem de Deus, através de Moisés.
O mais incrível, porém verdadeiro, é que foi Arão também quem tocou com a vara nas águas, as quais se transformaram em sangue. Confira com o texto da Bíblia:
“E o Senhor falou a Moisés e a Arão, dizendo: Quando Faraó vos falar, dizendo: Fazei por vós algum milagre, dirás a Arão: Toma a TUA vara, e lança-a diante de Faraó, e se tornará em serpente. E Faraó também chamou os sábios e encantadores e os magos do Egito fizeram também o mesmo com os seus encantamentos. Porque cada um lançou sua vara e tornaram-se em serpentes. mas A VARA DE ARÃO tragou as varas deles.
Disse mais o Senhor a Moisés: Dize a Arão:
Toma tu a vara, e estende a tua mão sobre as águas do Egito, sobre as suas correntes, sobre os seus rios, sobre os seus tanques e sobre todo o ajuntamento das suas águas, para que se tornem em sangue. e haja sangue em toda a terra do Egito, assim nos vasos de madeira como nos de pedra.
E Moisés e Arão fizeram assim como o Senhor tinha mandado. e levantou a vara, e feriu as águas que estavam no rio, diante dos olhos de Faraó, e diante dos olhos de seus servos e todas as águas do rio se tornaram em sangue.” (Êxodo 8-12,19,20).
Além disso, foi Arão quem, por ordem de Deus, fez vir rãs sobre o Egito e feriu o pó da terra, transformando-o em piolhos.
Moisés esteve presente quando tudo isto aconteceu. Porém, foi pelas mãos de Arão, seu irmão, e com a vara de Arão e não pelas mãos de Moisés e com a vara de Moisés que tais coisas aconteceram. Veja também este texto:
“E disse mais o Senhor a Moisés: Dize a Arão: Estende a tua vara e fere o pó da terra, para que se torne em piolhos por toda a terra do Egito. E fizeram assim: porque Arão estendeu a sua mão com a sua vara e feriu o pó da terra, e havia muitos piolhos nos homens e no gado. todo o pó da terra se tornou em piolhos em toda a terra do Egito. (Êxodo 8:16,17).
Houve uma praga, a das úlceras, sobre os homens e os animais, que foi gerada por cinza do forno, que Moisés e Arão tomaram seus punhos cheios e MOISÉS a lançou para cima. (Êxodo 9:8-10).
As pragas que foram concitadas por Moisés, foram: a das úlceras, conforme vimos acima, a da saraiva (Êxodo 9:23), a dos gafanhotos (Êxodo 10: 13). e a das trevas (Êxodo 10:22). Portanto quatro pragas. Arão, por sua vez, concitou três pragas. Isto soma sete pragas. E as outras três?
As outras três foram realizadas diretamente por Deus, sem qualquer um dos dois varões – Moisés ou Arão – levantarem a mão ou utilizarem a vara. Estas foram: a praga das moscas, a da peste nos animais e a da morte dos primogênitos.

Extraido do Livro:  O Que a Bíblia não diz